É por isso que morremos de medo de tudo, o medo paralisar, não nos deixar ir além.
Mar Ribeiro
1

No budismo dizemos que o sofrimento (e logo, o medo) não tem substancialidade. Ele está no campo das coisas abstratas. O medo da ação (paralisia) seria então o conflito com um tempo que não existe (o futuro). Perceber a ilusão disso tudo, e se lançar de cabeça admitindo que nunca estaremos no controle de nada, é de fato libertador. :)

Like what you read? Give Aryanne Audrey a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.