Tem um mar dentro de mim

Foto: Aryanne Audrey

Tem um mar sedento que engole o tempo. Cabe um mar nos coração dos poetas, e nada é insignificante. Até o que fere a vista tem um significado. Até as cores artificiais dos shopping centers, e os abraços frouxos não escapam do significado profundo de existir. Tudo importa porque está aqui. E as faltas existem desde que existimos, assim como as bençãos e a cura. 
Eparrei Oya! 
A construção de ferro machuca e o afeto virtualizado confunde as nossas sedes. Rasante é o azul e a liberdade de existir sem justificar-se pelos caminhos.

Ainda tento entender porque os balanços ficam mais divertidos nas árvores mais altas.