Certamente não é uma distinção estrutural entre o que seriam neo-obsessivos e neo-histéricas
Naturância, naturamento, naturável
André Souza Lemos
7

Na saída dos complexos familiares como candidato a modelo explicativo geral (que funcionou — e ainda funciona — só porque pode explicar algumas coisas que já foram muito intrigantes um dia), o que se viu na sequência foi a invasão dos “transtornos de personalidade”, de um lado, e dos pacientes inclusos no “espectro do autismo”, de outro. Não deixa de ser um certo desespero, como aquele do general que continua atacando, sem esperança de vencer a guerra, simplesmente porque é preciso “fazer alguma coisa” no plano da teoria. É nesse contexto que fenômenos explosivos como os novos preconceitos e a fobia da diferença reaparecem, vindos não mais de um lugar específico. Essas são coisas que é preciso em algum momento desistir de compreender, para que se possa então efetivamente atender, a partir daquilo que já se sabe.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.