EU NUNCA TIVE UM CARRO!

Eu não tenho carro…

Na verdade eu nunca tive um carro. Desses assim que eu pudesse chamar de meu. Quando morava em Campo Grande eu pegava o carro da minha mãe mas só quando ela emprestava! Com 18 anos de idade fui estudar em São Paulo e já era difícil pagar a faculdade, imagina só um carro! De acordo com muitos amigos meus, o fato de eu nunca ter tido um carro é algo que prova a existência de Deus, que por sua vez, poupa o trânsito mundial de um motorista pouco habilidoso como eu!

Minha mãe fala que eu guio bem! Acredito mais na opinião dela do que na dos mais amigos! Afinal, era ela quem me emprestava o carro.

Enfim… o fato é que nunca tive, não tenho e nem sei se um dia terei um carro meu. Não vejo essa necessidade visto que sei usar bem o transporte público de São Paulo e o Uber também é uma opção relativamente barata. E tudo que eu disse acima sobre não ter carro era uma preparação para o que realmente importa. A informação que vocês precisam guardar é essa: “Eu pego muito Uber”.

“Tá. E daí? As pessoas pegam Uber mesmo.”

Eu sei disso… e foi conversando com essas pessoas que eu descobri que elas memorizam as placas dos carros dos seus respectivos motoristas pelo número. Nunca pelas letras!

Isso foi uma surpresa muito difícil de conceber! Os números não me dizem nada. Já as letras…

Minha tática é criar frases com as iniciais da placa. Como se fossem siglas:

Exemplo 1: Se a placa traz as letras QOU minha cabeça logo pensa “Quero Outro Umbigo”.

Exemplo 2: Se ela vier DNM “Doritos Nunca Mais”

E por aí vai… o legal é que tem algumas placas que já vem com a legenda pronta, tipo CEU ou ANO ou FEZ .

Juro para os senhores que este texto está sendo redigido dentro de um Uber à caminho de uma gravação! Tô olhando as placas dos carros que cruzam pela minha janela do banco de trás e, bicho, quanta placa boa. A gente é que precisa saber olhar. Sempre para as letras, nunca para os números.

Agora me deu vontade de ter um carro! Mais pela placa que pelo carro em si! Vai ser uma surpresa e tanto se até lá inventarem uma placa só com letras.

E como esse texto vai acabar agora, me despeço de vocês na linguagem das placas de carro.

FUI

Pedro