Apresentando o Cinefilmes1

Este espaço é reservado para debater sobre produções cinematográficas e o jornalismo especializado nesta área. Esta proposta faz parte do cronograma de atividades da cadeira de Laboratório em Webjornalismo, do 4º semestre do curso de Jornalismo da Universidade da Região da Campanha (conhecida pelos íntimos como Urcamp). A ideia inicial é manter Blog, Twitter e plataforma Medium abastecidos com conteúdos relacionados a um tipo específico de jornalismo especializado (aquele que se dedica a entregar informações aprofundadas sobre assuntos segmentados para um público específico).

No caso deste canal, será abordado o jornalismo cultural com foco no cinema, um ramo ainda pouco explorado dentro dos estudos da comunicação. Além dos trabalhos pedidos durante o semestre, também serão feitas críticas de filmes, reportagens e demais conteúdos sobre o mundo das obras cinematográficas. Mas para começar, vamos falar um pouco sobre a relação entre estes dois meios.

O jornalismo cultural e o cinema

O jornalismo esteve presente em todas as fases e períodos da história das produções audiovisuais, mas em virtude da globalização, com o desenvolvimento da internet e demais tecnologias, esta relação nunca esteve tão forte quanto nos dias de hoje.

Atualmente, o que mais vemos nos veículos populares de comunicação são críticas e agendas sobre produções ou festivais de renome. Reportagens mais aprofundadas, crônicas, perfis, notas e demais gêneros jornalísticos só serão encontrados em meios especializados nesta área, podendo ser encontrados em todos os tipos de mídia. Este fato se deve a segmentação de individualidade da sociedade. As pessoas estão, cada vez mais, a procura de conteúdo personalizado, que atenda a gostos específicos.

Os veículos de comunicação e seus críticos são responsáveis por formar a opinião de muitas pessoas. Frequentemente, muitos de nós realizamos um pré julgamento sobre produções após a leitura de críticas que o favorecem ou não. Uma péssima avaliação de um renomado crítico é capaz de fazer com que a qualidade de uma grande obra possa ser questionada.

Vendo que o cinema, assim como os demais tipos de cultura, muitas vezes são usados como meio de difusão de pensamentos ou crítica social, o papel dos jornalistas e críticos especializados se torna indispensável para a transmissão destas mensagens.

O Jornalismo no cinema

Outro fator que merece ser destacado é a forma como a mídia é vista pelos cineastas. Percebemos o jornalista e seu trabalho sendo representados em um grande número de produções cinematográficas, recebendo o posto de papel principal, como antagonista ou até mesmo fazendo uma pequena participação que ajuda no desenvolvimento da história.

O primeiro filme a ser produzido com uma história que focava em jornalistas foi “O Poder da Imprensa”, lançado em 1909, dirigido por Van Dyke Brooke. Nestes mais de cem anos, diversos cineastas utilizaram os profissionais da mídia como personagens centrais em suas obras.

Alguns exemplos de produções com estas características, e que se destacaram dos demais, são: “Spotlight”, “O Informante”, “A Montanha dos Sete Abutres”, “Cidadão Kane” e “Todos os Homens do Presidente”. Independente se baseado em fatos reais ou sendo uma história fictícia que mostra uma realidade possível, estes filmes têm abordagens únicas sobre a carreira, a ética e o papel do jornalismo na sociedade de sua época. Em reportagens futuras, estas obras serão apresentadas com maiores detalhes.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.