O modo-Underwood agravando a crise

A situação é a seguinte. Há uma espécie de comoção no país. Ninguém sabe o que virá amanhã. Isso gera incerteza e aumenta o grau de desconfiança. A economia além-subsistência está parada. Os negócios inovadores não andam. Ninguém investe mais nada em inovação. Quem tem ao menos 60 mil dólares procura algum tipo de investimento financeiro com mais chances de ganhar na crise. Quem não tem, pisa no freio e corta custos. Nestas circunstâncias, quem tem dívidas não pode honrá-las. Quem não tem emprego, dificilmente conseguirá um. Quem trabalha intelectualmente como autônomo — por exemplo, como palestrante ou consultor — não recebe mais convites ou só recebe convites de quem não quer pagar o preço dos produtos ou serviços ofertados ou demandados. Quem tenta vender produtos de conhecimento, não encontra compradores. Resultado: a própria sobrevivência fica ameaçada. Enquanto este governo continuar, o ambiente econômico não desanuviará. Com a insistência de Dilma em ficar e de Lula em atuar no modo-Underwood (provocar a catástrofe, mas não sair do poder), tudo indica que a situação — já péssima — só vai piorar.