Pirataria digital

Muito diferente do que o nome se pré dispõe a apresentar, a pirataria digital não se vale da força bruta ou violência e sim das próprias falhas do mercado e da tecnologia, explicando melhor, se existem cópias piratas digitais é porque os mercados de cinema e música não se adequaram a um novo tempo aonde existe internet e arquivos .mp3, .avi e etc.

Afinal de contas a indústria do entretenimento se tornou a mais afetada pelo fenômeno da pirataria digital, simplesmente por não acompanhar o que estava acontecendo de fato e fingir que isso não teria consequências futuras, me lembro quando a própria sony lançou seu primeiro gravador de cds, que prometia fazer cópias de nossas mídias de cd, eu um simples estudante de informática, e na época apenas um adolescente, imediatamente liguei uma coisa a outras, se posso gravar posso gerar copias para meus amigos e obviamente assim como eu tive essa ideia muito outros pensaram: porque não fazer cópias e vender?

É nesse ponto da história que vejo nascer a pirataria digital, fruto de descaso dos próprios criadores da tecnologia e de toda industria de entretenimento que nesse momento deveriam investir em formas para adequar novamente suas mídias para o novo momento tecnológico que surgira, em vez disso esperaram confortavelmente para brigar na justiça, só que nesse meio tempo muita gente faliu e muita gente enriqueceu. Quando as brigas na justiça de fato começaram a maioria dos países não tinham uma legislação a respeito, décadas se passaram e o quadro aparentemente não mudou, prisões meio sem sentido acontecem mais parecendo uma forma de represália do que de justiça de fato, países como o Brasil mobilizam sua polícia federal para ações de grandes proporções, tomando o dinheiro público em prol à indústria de entretenimento americana enquanto ainda não sabemos quem roubou as vigas de aço do Elevado da Perimetral, no Rio. Isso para não citar absurdos como helicópteros de nossos ilustríssimos políticos abarrotados de cocaína, aonde basta dizer:” -não sei de quem é esse pó” — que o problema ta resolvido. Encurtando o papo, acredito que quem tem que resolver o problema da pirataria é a industria do entretenimento tecnologicamente e não ficar atrapalhando o mundo com essas ações que só desperdiçam o dinheiro público e ocupam nossas polícias e sistema judicial.