Porque 2015 foi uma merda

  • A economia quebrou como nunca vimos antes.
  • A maior empresa do país virou motivo de chacota
  • O PT roubou mais que qualquer governo
  • O Rio de Janeiro ficou cada vez mais impossível de se viver
  • Meu irmão quase partiu.
  • Atentado na França, enchente em Mariana, PMs matando e sendo mortos, UPPs de papelão, arrastões na ZS
  • Hospitais sem emergência
  • Me decepcionei (novamente) com pessoas próximas que pensei que fossem meus amigos
  • Tudo fora da janela da minha casa era motivo de tristeza e insegurança
  • Protelei cuidar da minha saúde como deveria
  • Arborizei voando de parapente
  • Não achei graça das coisas que achava antes
  • Trabalhei demais para nada (apenas grana, nada!)

Em contrapartida, Deus viu que estava brabo e resolveu tentar equilibrar a balança: fiquei num bangalô inusitado no Panama por 45 dólares, me apaixonei por Portugal, a operação do meu irmão foi um sucesso, treinei ainda mais minhas decolagens e voltei a voar de parapente, oficializei minha relação com Marcela, capacitei pessoas brilhantes, desenvolvi um coaching eficaz e único, li bastante, vi muitos filmes, ministrei muitas palestras, me empolguei com Star Wars e me emocionei com a releitura do Pequeno Principe, me cobrei menos, me culpei menos, me aproximei ainda mais dos amigos de infância, valorizei a sincronicidade, ajudei — dentro do possível, quem realmente precisava.

Vivi e sobrevivi a 2015.

O que espero do ano novo? Ainda mais resiliência, muita fé, consciência, decisões acertadas, aprendizado e força para alcançar meus objetivos.

Segundo voo após arborizada. “voce merece voar" Ruy Marra
beijo de mãe. pós-cirurgia
Unimed
Bocas del toro. Panamá
Amigos de sempre

Feliz ano novo! Feliz novo ciclo!

2015, ja vai tarde…