Ela Quebrou

Uma das máquinas humanas mais antigas que eu conheço. Dentro do seu corpo a fumaça densa complica ainda mais a situação, que “está tudo bem” _segundo ela. Mesmo quando a ferrugem está para ver, no sudeste da sua visão cansada se declara calma.

Eu tenho a impressão de que tem água demais nesse copo, corpo torto e inchado que agora pede socorro em silêncio entre o meio das frases comedidas. Sorria enquanto sofria, ela é boa nisso, talvez a melhor que eu conheço, mas agora ela quebrou e não tem abraço que conserte.

A cada degrau que subia lentamente dizia “logo eu vou melhorar”, dizer isto pra mim? Que fiz amizade com a dor quando tinha 16, sei que não está tudo bem, nossa ligação deixa claro os sinais de que algo grave pode estar por vir, apesar de todas as orações que eu ouvi, mantenho meu olhar atento no seu, ali eu encontro o meu eu em ti. E enquanto eu estiver ali eu vou poder dizer “vai ficar tudo bem”.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.