Catadão poético vol. 1

São Paulo/SP

poema #1

Sinto saudade da calmaria,
sinto saudade de quando era tudo bem.
Sabe? sem preocupações, sem perigos,
sinto saudade de quando as tardes eram minhas amigas.


poema #2

Vou sair pra andar
andar até me perder
me perder
até te encontrar


poema #3

A pureza de uma alma invisível,
a beleza da imperfeição de um corpo humano,
a sanidade de uma mente perdida em sua loucura,
a cela de uma cadeia onde o regime é aberto e fechado.


poema #4

Olhos claros como o lago
Onde tua beleza encontrei
Ante aos teus braços, teu lado
Me viciei

Pudera beleza ser mensurada
Pudera eu, viver contigo
Pudera eu, fugir da navalha
Pudera teu destino ser o mesmo que o meu

O poder do teu olhar
Derrubou-me ao chão, perdão
Corro ao encontro do mar
Minha vida não foi em vão.


poema #5

No dia que o sol se por
E nada voltar em seu lugar
Fugirás da sombra e dor
Para comigo poder estar

Sombra que penetra e rasga
O que é de uma fruta sem sua casca
Os dias passam exalando fumaça
E os finais de semana sem graça

Como a vela que o vento sopra
Eu te quero próxima
Não te vás de mim agora


Todos os poemas escritos durante o mês de novembro de 2014.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.