Cardinals x Bills — Pré jogo

O que? ARIZONA CARDINALS (1–1) x BUFFALO BILLS (0–2)

Quando? DOMINGO, 18 DE SETEMBRO DE 2016, ÁS 14 HRS.

Onde? NEW ERA FIELD, BUFFALO, NEW YORK.

Infelizmente não teremos transmissão da partida nos canais brasileiros. Mas você pode acompanhar tudo que acontecerá de mais importante no duelo através do nosso twitter (@os_cardeiais).

Após uma partida decepcionante que culminou com uma derrota para um desfalcado New England Patriots no primeiro domingo da temporada e uma partida empolgante onde o Arizona Cardinals atropelou o bom time do Tampa Bay Buccaneers, nosso time volta à campo neste domingo para enfrentar um Buffalo Bills em crise.

Aqui vai o que você precisa saber de principal quando a bola voar no domingo à tarde.

LESÕES

São desfalques certos para o Cardinals o OLB Kareem Martin , o DE Frostee Rucker e o Guard Evan Mathis. J.J. Nelson (WR) e Robert Nkemdiche (DT) serão as principais dúvidas e suas participações só serão definidas momentos antes do duelo.

Do lado dos Bills, Sammy Watkins (WR), Cordy Glenn (LT) devem desfalcar a equipe. Serão decisões para a hora da partida Charles Clay (TE), Ronald Darby (ILB) e Greg Salas (WR).

ATAQUE

David Johnson

Apesar da nossa vitória dominante, Bruce Arians não ficou feliz com o desempenho do ataque, especialmente do RB David Johnson. Segundo ele, Johnson cometeu muitas falhas mentais, que limitaram seu desempenho. Arians ainda disse que Johnson respondeu da melhor forma possível às críticas e teve um treino excelente.

De um modo geral, o jogo corrido pouco produziu mesmo. Apesar da média razoável de 3,5 jardas por carregada, a linha ofensiva não conseguiu os gaps, especialmente em corridas pelo meio. Como diz o be-a-bá do futebol americano, estabelecer o jogo corrido é meio caminho andado para a vitória.

Apesar de não conseguir fazer um bom trabalho no jogo corrido, a OL foi boa em deixar Palmer com tempo no pocket no último jogo. Ainda que ele tenha sofrido alguns hits imediatamente após completar o passe, na maioria dessas jogadas Palmer que optou em segurar a bola para encontrar um recebedor em boa condição.

O mathcup a ser observado na OL é Mike Iupati (LG) vs. Kyle Williams (DT). Williams é o melhor jogador no front seven adversário, e é capaz de executar manobras eficazes juntamente com o OLB Jerry Hughes. Iupati terá de permanecer disciplinado em situações de passe.

No último jogo dos Bills, os Jets marcaram pontos em todas as 5 primeiras posses de bola. Um início forte poderá tornar o jogo bem mais fácil.

Front Seven

Bruce Arians chamou para si a responsabilidade do péssimo jogo da defesa na primeira rodada. Arians disse que interferiu no plano de jogo de Betcher e ordenou que o time fosse menos agressivo em situações de passe.

No último jogo, porém, as coisas parecem ter voltado ao normal. Voltamos a enviar blitz na maioria das terceiras descidas, o que gerou desconforto em Jameis Winston, que começou a se livrar de qualquer maneira da bola, gerando turnovers.

No caso específico de domingo temos uma defesa que deverá se sobressair sobre o ataque de Buffalo. Estatisticamente falando, o ponto chave é parar as terceiras descidas do adversário.

Estamos no top 5 atuando em segunda descidas, porém, não conseguimos a mesma efetividade em terceiras descidas, onde somos o antepenúltimo time da liga em desempenho. O ataque de Buffalo, porém, não é tão bom convertendo terceiras descidas curtas (até 3 jardas). Estatísticas tão similares indicam que, pelo menos na partida deste domingo, trata-se de um território sem dono. A unidade que se estabelecer em terceiras descidas primeiro deverá tomar o controle deste tipo de situação.

Encontramos nosso CB# 2?

Secundária

O primeiro jogo de Marcus Cooper com a camisa do Arizona Cardinals foi memorável. 2 interceptções — sendo uma delas retornada para touchdown — e 7 tackles, que lhe renderam o título de melhor jogador defensivo da semana na NFC.

Apesar de toda a animação, toda cautela é pouca. Cooper é ótimo em impacto inicial. Na sua temporada de calouro, em 2013, ele ganhou o título de melhor novato dos Chiefs na temporada. Porém, lesões e mau desempenho o atrapalharam nos anos seguintes, levando os Chiefs a se desfazer dele por um preço irrisório (escolha de 6ª rodada) ao final da pré-temporada deste ano.

Bruce Arians confirmou que Brandon Williams e Marcus Cooper, assim como no jogo contra os Bucs, irão revezar drives como CB titular da equipe. Mais do que uma batalha pela posição, trata-se de colocar ambos os jogadores em ritmo de jogo para quando a temporada se afunilar.

Nos safeties, o destaque vai para Tony Jefferson, eleito o melhor jogador da última partida pelo Pro Football Focus. Por outro lado, Tyrann Mathieu ainda não é aquele jogador agressivo de 2015, e está jogando exclusivamente como FS. Arians afirmou que enquanto o jogador não recuperar a velocidade e seu tempo de reação, dificilmente Mathieu jogará no slot.

Special Teams

Após a bronca da dupla BA-SK, o time de especialistas parece ter acordado para vida..

Em punts, todo o conjunto funcionou bem. O snap sempre foi bem feito, os chutes tiveram hang time bom e os tackles foram bem feitos. Se essa for a tônica daqui para frente, ganharemos o apoio de uma unidade essencial para se ganhar jogos.

O mesmo, infelizmente, não se pode ser dito da unidade de fieldgoal. Foram, no mínimo, duas vezes em que o snap veio zoado para Drew Butler, nosso holder, que fez um trabalho fenomenal em corrigir e colocar a bola em posição de chute.

A batata está assando para o long snapper Kameron Canaday.

CONCLUSÃO

Antes de concluir, duas observações se fazem necessárias:

Assim como nos special teams, os tackles feitos pela defesa melhoraram de um modo geral no segundo jogo. A técnica para efetuar os tackles corretamente foi observada pelos atletas, que sem afobação, perderam menos tackles que na semana de abertura da temporada. Mas, a pergunta sempre será, como serão feitos os tackles na sequência da temporada?

Erros mentais. Bruce Arians comentou sobre os erros mentais de David Johnson no jogo contra os Bucs. Erros mentais (ou falta de concentração) se referem, dentre outros, à erros de rota, de técnicas de tackle/bloqueio, erros de leitura e, principalmente, faltas. Não fomos faltosos contra os Bucs, mas um lance me chamou atenção e foi exatamente no lance do touchdown inaugural.

Notaram algo estranho? Pois bem. Nosso RT DJ Humphries foi até o 2º nível da defesa bloquear o jogador nº 58 da equipe adversária. Isso seria uma falta que faria a equipe voltar 5 ou mais jardas em uma situação de primeira para o gol na linha de 3.

É isso.

Antes de a temporada começar, esse jogo contra Buffalo sempre me deu calafrios. É o tipo de confronto que historicamente os Cardinals se dão mal. Mas, hoje, é um jogo para ganhar ou ganhar. Somos um time melhor no ataque e na defesa. Estamos com o clima ótimo enquanto Buffalo ainda lida com a saída repentina de seu coordenador ofensivo. Qualquer resultado que não seja a vitória será muito decepcionante.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.