17/04: Ainda somos Brasileiros!

Muro construído para manifestação de domingo, 17/04/2016 | Foto por: José Cruz/Agência Brasil.

Lutamos pelo mesmo motivo, meu amigo, lutamos pelo:Brasil!

Por: Luther Fiaia Azi — 13/04/2016

Domingo, 17/04/2016, será o dia que vai entrar para história do Brasil. Acredito eu que este dia irá ser estudado daqui 30, 40 ou 45 anos nas aulas de história. Então, para a nova geração de professores de história, eis a minha sugestão para o título da matéria para dar um suspense nos alunos: “Teve ou não teve golpe contra a democracia em 2016?”

Chamar o que está acontecendo no Brasil hoje de golpe é sim de toda legitimidade. Alguns se encontram felizes com o futuro Impeachment da Presidenta Dilma, outros, aliás, devem estar arrancando os próprios cabelos. Em Brasília já foi criado uma estrutura especialmente para o dia 17, e posso dizer que voltamos para 1961 onde um muro separador de famílias surge no meio do Palácio do Planalto! Sim, um muro vai separar manifestantes pró impeachment dos contra impeachment. Por mais que seja com a justificativa de segurança para ambos os lados, não é, de fato, algo triste de se ver?

Querem tirar a Dilma da posse do governo com a justificativa de que o Brasil tem que mudar. Logo, o vice Presidente Michel Temer irá assumir (caso ocorra o impeachment), mas até onde sei o PMDB está ao lado do PT desde Lula. Logo, se houve algo que ocorreu nesse período, inclusive o atual mandato da Presidenta Dilma, não é de se esperar que ficaram no escuro por tanto tempo? A campanha da Dilma em 2010 foi feita com o próprio Temer, neste caso não é de suspeitar tamanho oportunismo por parte deste partido? Ora, existe problema de visão por parte do PMDB? Eu acho que não.

Queremos mudanças? SIM! Com a saída da Dilma vai resolver? NÃO! É tão fácil enxergar isso. Não é a questão da Dilma sair ou não. É a questão do “Corrupto contra a corrupção!” que está agindo no Congresso para que o Impeachment seja feito. “Ao todo, 37 deputados federais da Comissão já cometeram atos políticos ilícitos.”

O próprio Eduardo Cunha, Presidente da Câmara dos Deputados, é o melhor exemplo deste caso. Eu já cansei de ver o mesmo fazendo discurso de honesto; mas, por outro lado, está se perdendo em escândalo. E onde o nosso querido Presidente da Câmara se encontra? Na cadeia? Claro que não! Ainda está lá chefiando o Congresso. E se não fosse só por isso, se por ventura o Impeachment ocorrer e caso o Temer também é retirado, adivinha quem vai assumir?

Então a questão é exatamente essa: Se for para mudar, vamos mudar tudo! E isso começa desde casa. Já cansei de ver pessoas sujando as ruas com garrafas pets, restos de comidas, papeis de balas ou qualquer coisa do tipo. Recentemente duas mulheres jogaram duas garrafinhas de água no chão. Ambas estavam do lado de uma lixeira. Eu não aguentei aquilo e corri para pegar a garrafa e jogar na lixeira. As duas me assistiram com a “cara no chão”.

A corrupção está em todos nós. E podemos sim muda-la. Mas se vamos mudar, vamos mudar direito.

Reforma política; reforma constitucional; reforma tributária; reforma na educação; reforma na saúde, e, principalmente, reforma na nossa forma de pensar.

Então é de se notar que vivemos um período de caos no Brasil, de tal forma que devemos aprender a conviver. Não podemos esquecer de quem somos e com quem convivemos. Acima de tudo ainda somos vizinhos e colegas. Somos brasileiros. Independente de vestir vermelho ou a camisa da CBF. Não podemos deixar que um partido; o governo; a mídia; um muro, ou qualquer outro agente manipulador, nos fazerem brigar como se fôssemos soldados de ideologias perdidas. Somos filho de uma e da mesma nação: República Federativa do Brasil.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Luther F. Azi’s story.