Diário de um delírio ambulante.

Luther Fiaia Azi, muito prazer. Sim? Como posso ajuda-lo? Ah, sim. Você já vai perceber que muito pouco tenho a oferecer, pois a ajuda sempre está, o tempo todo, dentro de ti. Estamos perdidos dentro de nós mesmos, o que nos leva a perceber que apenas nós mesmos podemos escapar da escuridão que nos assola.

“Conheça-te a ti mesmo.” Sócrates.

Cá entre nós, você, meu caro, já ao menos se perdeu várias vezes, ao decorrer da vida, em seus próprios pensamentos. Não obstante, se perdeu em um labirinto bem pior: do seu pensamento para o pensamento do seu pensamento. Sim, eu sei… Você acaba de descobrir que a sua própria consciência tem consciência. E, por tal motivo, talvez, olhou para os lados e pensou na vida e em como ela pode ser vazia. Parabéns, você acaba de fixar o seu olhar para o horizonte e perceber algo fantástico.

“… Existo porque penso…” Paul-Jean Sartre

E você perceberá, meu caro, que você não poderá fugir da existência. E, seria muito rude da minha parte caso eu não o fizesse, mas não faz o meu estilo, então... Cá está: Bem-vindo a angustia! E ao contrário do que todos dizem eu afirmo que a angustia, além de necessária, é um sentimento acolhedor.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Luther F. Azi’s story.