Eu sinto falta de mim mesma

Com uma anormal frequência eu sinto falta de alguém que costumava conhecer, alguém que, conforme ouso afirmar, costumava adorar. Essa pessoa se foi e eu não sei como ou quando isso aconteceu; e embora algumas vezes eu consiga ver vestígios dela no meu espelho ou mesmo em rastros da minha memória, sei que ela se foi, e sei que não vai voltar.

Me pergunto se fui eu que a machuquei ao ponto que não restasse mais nada, ou se fui eu que deixei que a machucassem. Teria eu sido tão leviana ao ponto de permitir tal desastre? Não tenho respostas, dicas ou planos. Só tenho nostalgia, como se isso fosse algo marcado em minha pele, fundido em minha mente.

Sinto falta de seu sorriso, de suas palavras, de sua coragem, e principalmente de sua força. Havia um certo brilho nela que eu nunca imaginei que poderia ser saudável, não importa o que isso signifique. Nada poderia derrubá-la, e eu simplesmente admirava isso. Sinto falta de sua ingenuidade e esperança. Acredito que um pouco de ingenuidade não seria terrível. Acreditei cegamente nisso, e pode ter sido um erro.

A verdade é que me pego com frequência tentando encontrá-la dentro de mim, e assumo que por isso eu me sinta incompleta, assim como pesada e vazia. Alguém que eu costumava conhecer tão bem merecia ter sido salva. Sinto falta dela, sinto falta de mim.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.