Minha primeira vez no Uruguai

Em março de 2015, eu e meu namorado enchemos o tanque do carro, colocamos as malas no bagageiro e saímos de Porto Alegre rumo ao Uruguai. Cerca de oito horas de viagem, muitos pedágios, muitos buracos e uma experiência nova no meu currículo de vida.

Meu sogro é uruguaio, nasceu em uma cidade da região metropolitana de Montevideo mas se mudou pra São Paulo com 18 anos. Saiu de lá com os pais e a irmã para fugir da ditadura militar que assombrou o país de 1973 até 1985. Eles vieram, mas o resto da família ficou. Então, desde que eu comecei a namorar o Gui, a ideia de ir passar férias (ou até um feriadão) por lá surgia.

Nosso roteiro tinha como primeira parada a pouco habitada praia de Punta del Diablo. A cidade é dividida em quatro praias: playa la Viuda, la playa de los Pescadores, playa del Rivero e playa Grande. A que mais gostei foi a dos pescadores. Ela fica no “centrinho” da cidade, é mais movimentada, cheia de barquinhos na areia e ondas que atraem os surfistas no fim do dia.

Playa de los pescadores
Playa Grande (dentro do Parque Nacional de Santa Teresa)

Ficamos dois dias em Punta del Diablo e partimos para La Paloma. Se minha memória não falha, dirigimos por cerca de 1h30 de uma praia a outra.

La Paloma é uma cidade INCRÍVEL, uma mescla de cidade pequena com estrutura de cidade média. Lá ficamos num hostel beeeem meia boca mas mesmo assim a praia ganhou meu coração. O ponto turístico mais popular é o farol de La Paloma que apesar dos degraus estreitos, tem uma vista de perder o fôlego.

Faro del Cabo de Santa Maria
Vista do Farol de La Paloma

Além das praias, o pôr-do-sol lá é sensacional.

Pôr do Sol na praia de La Balconada — La Paloma

Saindo de La Paloma, rumamos para a mais popular e luxuosa praia do Uruguai: a já famosa Punta del Este. Paramos me um hotel bem honesto e super bem situado, no meio da península. Se de um lado existe uma ostentação desmedida, cercada pelos carros de luxo e cassinos lotados, por outro há uma praia bonita com um mar um pouco menos frio que nas praia anteriores. Punta me ganhou pela natureza, mas me cansou pelos preços caríssimos de todas as refeições.

monumento Los Dedos
Vista do Cassino e hotel Conrad

O que fez a minha viagem pro Uruguai ter sido uma experiência ainda mais inesquecível, foi ter ido conhecer a Casa Pueblo — residência de verão e hoje museu e hotel do renomado artista plástico e arquiteto Carlos Páez Vilaró. Além de ver grandes obras, a vista do lugar é simplesmente fe-no-me-nal. Tenho a certeza de que lá, vi o pôr-do-sol mais lindo da minha vida, ao som de uma poesia maravilhosa, escrita e recitada pelo artista, em homenagem ao astro rei Sol.

Por fim, chegamos a Montevideo. A cidade me lembrou muito o centro de Porto Alegre, prédios antigos, cheios de histórias. Ficamos 5 dias desbravando a região, mas como dormimos no interior, acebei vivenciado muito mais a cultura uruguaia que a cidade em si.

Foram férias maravilhosas nas terras do Mujica. Comi doce de leite TODOS os dias (é sério) e conheci um país cheio de lugares bonitos e pessoas carinhosas. O Uruguai é um país pequeno, com alto custo de vida mas é nosso irmão, por pouco não viramos tudo uma coisa só. Vale a pena planejar uma passagem por lá.

Espero que sua primeira vez seja tão boa quanto a minha ;)