#35 Queria ser grande, mas desisti — 05/05/17

Ilustração: Alessandra Genualdo

Como foi a sua semana?
O ponto alto da minha foi acompanhar a gravação do primeiro programa do Pedro Bial com a ministra Carmem Lúcia, a presidente do Supremo Tribunal Federal.
Ela entrou no estúdio e eu fiquei emocionada. Talvez seja a gravidez, talvez seja o fato de eu cobrir de perto as decisões do STF nos últimos dois anos. Só sei que admiro muito essa mulher.

Carmem Lúcia falou muito do livro Grande Sertão Veredas, de Guimarães Rosa, um dos meus preferidos, e de como a palavra tem força:

“A ideia de união com o outro se dá pela comunicação. É mais do que isso porque pra mim esta ideia de uma união com o outro no final tem AÇÃO. A ideia vira um pensamento, o pensamento vira palavra e a palavra muda o mundo se for convertida numa ação, guardada e maturada, como diria Riobaldo.”

E do gosto amargo que a ditadura deixou:

“Eu fui estudante na década de 70 e só quem esteve lá para saber o que era a vontade de arrancar aquilo e de esgoelar qualquer coisa (…) Quem soube a força da mordaça sabe o gosto de falar.”

Cada coisa que sai da boca dela é quase uma poesia. 
Sei que no tempo em que vivemos é difícil confiar em figuras públicas, mas não consigo esconder a felicidade por termos uma mulher dessas, forte e otimista, como fonte de inspiração.

Quando descobrimos que eu estava grávida, logo pensamos que seria uma menina. Já tínhamos o nome pra ela: Estela. Os nossos pais e irmãos tinham a mesma certeza. Minha irmã mais nova tinha até uma tal tabela chinesa para comprovar que seria, sim, uma menina. Mas foi só fazer o ultrassom dos três meses e… Joaquim. A felicidade não diminuiu, mas bateu aquela insegurança: será que vou me identificar com os gostos dele e ele com os meus? Bobeira, eu sei, mas é o que eu sinceramente pensei. E esta semana vi que não era um medo (infundado) só meu. O blog Cup of Jo fez um post lindo sobre o tema e angariou o depoimento de nove mães de garotos e homens. Lágrimas rolaram no teclado ❤

Agora, o outro lado da moeda: você quer ser mãe ou apenas ter um bebê?

Ganhei de presente (adiantado) de Dia das Mães o livro Como cozinhar a sua preguiça, da chef Gabriela Barreto, nome por trás do Chou. Tirei da caixa e já comecei a ler. Boa parte das receitas está marcada para testes. Tudo parece delicioso e simples, assim como os textos dela

Já começou a assistir a série Dear White People, do Netflix? Está como prioridade na minha lista, ainda mais depois de ler esse texto

Você sabe o que é comunicação não-violenta? Este texto da Laura Pires vai ajudar quem quer viver melhor neste período de tanta intolerância

Fiquei fascinada com esse vídeo que mostra a fabricação dos antigos bonecos de borracha

E a Via Láctea captada de um avião?

Está gostando das dicas? Manda a newsletter para os amigos, então ;)
É só se inscrever aqui: tinyletter.com/babibomangelo
E pra divulgar nas redes, você pode usar este link

Me segue: 
@babibomangelo