Oceano Pacífico

Sugestão de música: Paths — Sea Oleena

(https://www.youtube.com/watch?v=AM9ojwGp-nA)

A janela está aberta, as cortinas estão fechadas — o vento sopra e faz com que elas se movam como ondas, aquelas mansas. Tudo está quieto. Quem vê não poderia imaginar que outrora tudo era caos. Meu eu interior é o perfeito reflexo de um pós-maremoto. A água veio e levou o que era ruim, mas também o que era bom. E eu fiquei aqui, quase apática, quase sem forças e quase sem ar, mas a boa notícia é que ainda estou respirando e meu coração ainda está batendo. Sabe por quê? Porque deixou destruição, mas também deixou esperança e… a possibilidade de um recomeço. Talvez eu continue deitada com as mãos sobre o imenso buraco em meu peito por mais um instante ou até dois, mas, como eu sempre faço, uma hora eu vou me reerguer e, fazendo dos meus erros, meus fracassos, minhas decepções, minhas frustrações e toda a dor minha base, vou me reconstruir. Mais sólida, mais forte… melhor.