eu não vou ter medo de te dizer que eu nasci para te contar a minha parte da história. em meio a tanta coisa que pode ser feita no mundo, eu realmente tenho que ser verdadeira, eu nasci pra isso. então eu vou ouvir melhor e observar. tendo o respeito, que também desejo, á forma de existir das pessoas, da natureza e de Deus. quem você pensa que é? eu me perguntaria do outro lado. por quê a sua versão da vida pode me interessar? , eu perguntaria também, porque meu nome é Mariana e meu sobrenome é “#eu não concordo#vamos falar sobre isso#chata”

e a resposta a primeira pergunta seria, que eu não penso. eu sou. e claro que as vezes penso que sou alguma coisa, mas aí eu caio do cavalo e volto apenas a ser, quem eu sou. e talvez por isso a minha versão pode te interessar. porque eu acredito na peculiaridade surpreendente e inigualável de cada vida. se dedicar a olhar para fora de você, te traz sinais do que você é. em cada concordância, contradição. nas inúmeras conexões e nos inevitáveis desencontros. eu sou mais um binóculo. alguns vão apertar o olhinho aqui e não vão achar a vista tão atrativa. outros podem vir todo dia tentando descobrir algo diferente. uns vão achar e outros se decepcionar. que bom, a procura continua e dá pra ir guardando um bom tesouro durante um caminho. é bom refletir sobre pensamentos e experiências. é bom saber que meu dom está vivo e compartilhado.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.