Marcas Que Tocam — Perro Libre

Conheça um pouco mais da história dos nossos clientes :)

_

A paixão por produzir cervejas artesanais vem de família.

Thiago, um dos sócios da Perro Libre, foi introduzido nesse mundo pelo seu pai, Alberto, que fazia cerveja artesanal como hobby e um dia convidou o filho para ajudar.

“O contato com as matérias primas, ter que moer o malte, aquecer a água a uma temperatura x, adicionar o lúpulo e vir um cheiro super fresco, como quando se joga manjericão em um prato, me fascinou. “ — ele nos contou :)

A partir daquele dia, os dois sempre seguiram produzindo e descobrindo juntos. Descobrindo o poder dos diferentes ingredientes, o potencial dos sabores e os perfis sensoriais que a cerveja permite. E foram se descobrindo como cervejeiros também.

“Junto com o prazer de tomar uma cerveja feita para ser a melhor possível, o propósito disso tudo nos mexia muito. Abrir mão de produtos industrializados (com qualidade super comprometida em troca de uma cadeia logística facilitada) e de insumos baratos de origem incerta e optar por algo que a gente escolhia a dedo nos ensinava a cada dia… tudo isso foi crescendo muito na gente.”



Foram 3 anos vivendo esse hobby intensamente e viajando no sonho de transformá-lo em uma cervejaria de fato. Até que em 2014, a Perro Libre nasceu.

Uma cervejaria cigana, latino-americana e sem coleira.

Palavras bonitas, mas o que isso quer dizer na prática? Quer dizer que a Perro se vê livre para criar e experimentar, sem cair nos padrões do que se considera uma boa cerveja. E o mais importante: faz isso com um posicionamento forte e uma consciência invejável.

Eles valorizam o fato de serem aqui da América do Sul, do Brasil, e respeitam tudo o que as terras desse lugar podem oferecer. Alinhados com o espírito do tempo, valorizam muito o que é local, utilizando ingredientes que cervejarias de outras partes do mundo teriam dificuldade de encontrar — mas a gente tem aos montes.

Segundo os próprios sócios, eles se inspiram muito no movimento da gastronomia para seguir esse posicionamento.

“Há até pouco tempo, para oferecer alta gastronomia em um restaurante, o único caminho era copiar pratos, insumos e técnicas das escolas europeias. Faz alguns anos que os chefs pararam pra pensar: peraí, eu tenho insumos locais únicos e tenho uma cultura rica pra caramba — por que vou ficar apenas copiando técnicas e importando insumos que chegam comprometidos aqui? Isso gerou uma revolução na cozinha e uma valorização nunca antes vista dos nossos insumos e cultura na gastronomia. Pensamos que esse é o próximo passo na cerveja.”


A Perro Libre não está sozinhoa nesse “descobrimento” da cerveja brasileira e latino-americana — existe um movimento acontecendo nesse sentido. Segundo eles, um movimento natural: primeiro se aprende e tenta repetir até produzir com a qualidade desejada. O passo seguinte é questionar e buscar caminhos próprios.


“Acreditamos que estamos nesse momento, e que o nosso papel é participar desse processo de valorização da nossa cultura através das nossas cervejas.”


Os bares da Perro buscam embalar todos esses conceitos e transmiti-los aos amantes da cerveja em forma de experiência. São os espaços perfeitos para os clientes sentirem a cultura latino-americana da marca na prática.

Lá é possível encontrar a linha completa de cervejas, muitas com insumos latino-americanos, como a Salar Uyuni Gose (onde se usa sal colhido pelos próprios sócios no Salar do Uyuni) e a CCPS Imperial Stout, com cumaru, café e palo santo.

Também tem a cozinha, de raíz latino americana, com base na região andina. O ceviche de peixe branco selvagem e o sandwich de chola (lanche de rua típico boliviano) são os preferidos do público.

"Nós acreditamos em um tripé de experiência nos nossos bares: comida fresca e artesanal, cervejas no melhor estado possível e um atendimento que transmita carinho e qualidade."



E cada detalhe importa.

Quando recebemos o convite da cervejaria para ajudar nessa construção, o nosso desafio era transformar tudo isso em música: potencializar a experiência já proporcionada pela cerveja, pela comida, pelo atendimento, pelas luzes e pelo ambiente bem decorado traduzindo em trilha sonora os valores que fazem da Perro Libre uma marca tão especial.


“Pra fazer esse Concept a gente teve que combinar os valores da marca com as sensações que eles queriam que o público sentisse ao frequentar o Tap Room (ser um ambiente informal, despojado e animado).”

Aspas da Nah, nossa curadora responsável pelo desenvolvimento do Concept para a Perro Libre :)


Segundo ela, esse processo de pensar na identidade musical da marca atrelada aos seus valores e ao que se espera do ponto de venda foi desafiador. A identidade ficou bem explícita ao estudarmos os seus valores, porém foi difícil fazer as playlists para um local que estava aberto há pouco tempo.

Logo, por mais que a marca soubesse o público que consumia as suas cervejas e que frequentava os eventos antes da abertura do bar, não era certo que aquele público fosse o futuro frequentador do Tap Room.


Através de um estudo sobre a marca, seu público e o ambiente do Tap Room, desenvolvemos uma estratégia de music branding para manter o tom descontraído e informal do lugar, elevando os valores da Perro. Uma cervejaria:

  • cigana por não tem fábrica própria, produzir sua cerveja de maneira independente junto com produtores locais, com os quais tem uma relação muito próxima;
  • orgulhosamente latino-americana por utilizar ingredientes e temperos locais nos seus produtos;
  • sem coleira por estar sempre aberta ao novo, ao desruptivo;

Como traduzir esses valores em playlists?

Entendemos que o primeiro passo era construir uma atmosfera sonora que traduzisse a essência da Perro: jovem, cervejeira, informal, descontraída, artesanal, independente, criativa, latino-americana e sem coleira!

Para isso, nos apropriamos de algumas estéticas sonoras principais que reforçam associações desejadas entre o público e a marca.


Assim nasceram as playlists que hoje tocam na Perro Libre :) É o maior orgulho entrar no bar e ouvir esse nosso trabalho, sabendo que ajudamos a construir um pouco daquele lugar tão legal.


E mais lugares assim estão surgindo. Eles acabaram de inaugurar a Perro Libre Pinheiros, a estreia em São Paulo. Segundo os sócios, abrir o bar em Porto Alegre foi um marco enorme e eles acreditam que dar mais esse passo será uma experiência tão boa quanto foi a do sul.

A marca quer crescer sem esquecer dos valores que a fizeram chegar até aqui.

Eles sabem que um dos grandes desafios de qualquer negócio que possui valores fortes e que questiona o modelo tradicional de crescimento a qualquer custo é tornar o negócio financeiramente sustentável sem abrir mão do que se acredita.

"Queremos continuar nesse caminho, buscar um crescimento saudável e que respeite os nossos valores. Nossos bares são uma ótima maneira de alcançar esses resultados e acreditamos que o futuro da Perro está muito atrelado a expansão deles."


Marcas Que Tocam

é um projeto que busca mostrar marcas parceiras que vão além de simplesmente oferecer um produto ou serviço. São marcas que se preocupam em entender e se conectar de verdade com pessoas, antes de clientes, que entendem a comunicação de um jeito diferente e que abrem suas portas e seus espaços para essas mesmas pessoas viverem experiências únicas, que tocam de verdade.

_

Se você curtiu esse post, que tal apertar os “aplausos” aí embaixo pra fazer com que ele chegue a mais pessoas? :)

Aliás, se você ainda não nos conhece, nós somos o Bananas, a primeira empresa brasileira especializada em estratégia e curadoria musical pra marcas no Spotify. Conheça o nosso site ou entre em contato pelo Facebook, Spotify ou Instagram.