Resistência, luta e diversidade: Chapa 1 tem integrantes de todos os bancos e uma mulher negra como candidata à Presidência

A mulher, negra, militante e candidata à Presidência do maior Sindicato dos Bancários do Brasil, Ivone Silva, esteve na manhã desta terça-feira (11) dialogando com trabalhadoras e trabalhadores das agências bancárias de Santo Amaro, zona Sul de São Paulo (SP).

Ao lado de apoiadores, dirigentes e integrantes da Chapa 1 — resistência e luta ao lado dos bancários, Ivone reforçou a data da eleição do Sindicato (de 25 a 28 de abril) e falou sobre a importância de a categoria aderir à greve geral, no próximo dia 28, para garantir que nenhum trabalhador perca seus direitos conquistados.

“Demoramos muitos anos para conquistar uma série de direitos. Tudo veio com muita luta, nada foi dado de graça. Portanto, além da nossa votação, no dia 28 tem a greve geral, que conta com o apoio de 81% da categoria bancária, além de condutores, metroviários, químicos e professores. É uma greve geral de todos os trabalhadores em defesa dos nossos direitos”, diz Ivone.

Logo no início da manhã, durante o ato em frente ao Centro Administrativo do Santander, Cássio Murakami, um dos integrantes da Chapa do Sindicato, lembrou que “a Chapa 1 é uma chapa plural, com integrantes de todos os bancos, e tem como representante à Presidência uma mulher negra”.

Os avanços e conquistas da Chapa 1 foram ressaltados por Ivone em cada agência visitada. A futura presidenta também lembrou os colegas que as urnas irão passar no local de trabalho nos dias de eleição. “É importante participar da votação porque é um exercício democrático. Você tem o direito de escolher quem vai continuar as lutas em defesa dos direitos dos bancários e bancárias”, defende Ivone.

“Os banqueiros não dão nada de graça. Nós é que temos que fazer as greves e ir à luta”

A campanha da Chapa 1 não para e está nas ruas, nas redes e nos bancos. Nesta segunda-feira (10), Ivone visitou o Centro Administrativo do Itaú, em Tatuapé, e conversou com as bancárias e bancários do local.

“O próximo período é de resistência. Não podemos perder tudo o que conquistamos, o que não foi pouco. A nossa principal bandeira é contra a retirada de direitos”, alertou Ivone aos colegas.

Após fazer a resistência, Ivone garantiu que a Chapa 1 irá em busca de mais avanços na Convenção Coletiva para a garantia de mais conquistas. “Os banqueiros não dão nada de graça. Apesar de ganharem bilhões, eles não querem dar nada aos trabalhadores. Nós é que temos que fazer as greves e ir à luta”, afirma.