Mulher da Lua

Eu me estatelei no mar
quando vi a vida morrendo
e o riso chorar.

Eu me abracei com o pranto
quando vi uma partida sem graça.
Eu não entendia nada, que espanto!

Resolvi não pedir licença,
nem pra entrar em parafuso.
Mulher da Lua que sou,
resolvi por mim mesmo entender
esse mundo confuso.

Sorri então quando não tinha graça,
dancei mesmo sem música na sala,
chorei sozinha e em silêncio,
mesmo isso fazendo um barulho danado
mas sendo tristeza ou alegria
eu entrego tudo ao tempo.

Mulher da Lua que sou,
brilho dia e noite do meu jeito discreto,
gosto mesmo do amor concreto,
esse então como um pássaro,
marquei você em mim, sempre pra ter você por perto.