Eu gosto do teu jeito de tocar.

Do jeito que teus dedos apertam as cordas

Do jeito que tua mão faz ritmos desacelerados e compassados

Da tua cara de desaprovação toda vez que erra um acorde

Do teu sorriso amarelo quando se perde no ritmo

De quando abre tua boca e me deixa ouvir tua voz

Do teu olhar enquanto me espera te acompanhar na cantoria

Dos teus olhos fechados enquanto sente a melodia correr pelo teu corpo

E da sensação de que todos os pensamentos estão longe demais para serem reais

Como se a única verdade da vida fosse essa (e talvez seja).

Like what you read? Give Juliana Batista a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.