O dia que tinha tudo pra dar errado mas deu certo

Ilustração por Kerisson Wemerson

Ele sempre saía as escondidas pra encontrar com ela. Ela já havia avisado que aqueles encontros não poderiam terminar bem, mas não conseguia resistir aos chamados dele. Eles não tinham motivos pra se encontrar assim, afinal eram um casal assumido e querido por todo mundo que os conhecia. Mas a adrenalina, o frio na barriga, a sensação de fazer algo “proibido” e a vontade imensa de passar cada segundo possível juntos era o que movia os encontros à noite, mesmo aqueles em que ela só ficava deitada no colo dele embaixo de uma árvore por horas. Não precisavam de nada pra ser feliz, só a companhia um do outro.

Mas um dia, num dos melhores encontros que já tiveram, o telefone dele tocou. Era o pai, indo buscá-lo do outro lado da cidade, no lugar onde ele deveria estar há horas. O pânico tomou conta dele, ele quase colocou tudo a perder. E teria colocado mesmo se ela não fosse tão calma e centrada. Eles tinham 20 minutos, com sorte 30, pra atravessar a cidade e ele ficar esperando pelo pai sem ela, já que os dois não deveriam estar juntos.

Foi uma correria sem fim, os dois não conseguiam nem conversar no caminho de tão preocupados que estavam. Ela só perguntava “ele falou mais alguma coisa?” e ele só respondia “não, até agora nada, precisamos chegar logo”. Na pressa, pegaram o primeiro táxi que passou, o que acabou com todo o pouco dinheiro que tinham. O motorista, atendendo ao pedido desesperado dos dois de “corre, precisamos chegar do outro lado da cidade em 20 minutos!”, correu mais do que nunca, correndo o risco de ser multado, e os deixou na porta em 15 minutos. Os dois desesperados, só foram ver depois a mensagem que dizia “vem descendo a rua pra me encontrar”. A história rendeu risadas quando perceberam que o motorista do táxi era um colega com quem haviam estudado.

Na hora, sem saber o que fazer, ele logo ligou para o pai dizendo que não poderia descer e pedindo que o buscasse. Enquanto isso, ela pegou o primeiro ônibus que passou, torcendo para não cruzar com o pai dele no caminho. Estavam muito perto de conseguir para que estragassem tudo assim. No fim das contas ela foi pra casa, sozinha, e ele ficou lá esperando o pai, que chegou só 5 minutos depois que ela havia saído. Dessa vez tudo deu certo. Mas os dois não aprenderam e continuaram com os encontros. Nem sempre eles poderão contar com a sorte.