Carta para Alice que se perdeu no caminho do país das maravilhas.

Você sente demais, sua pele nasceu descamada e seu coração não é impermeável. Vais sentir demais pequena, vai deságuar em tempestades frias e vai encharcar seus ossos. Talvez pense que essa complexidade te torna frágil nesse mundo cinza e hostil, mas é com a sua faca com ponta de flor que você vai sobreviver.

Talvez caia, talvez rale os joelhos e chore inconsolavelmente as 4 da manhã em uma casa que não é sua.

Talvez sinta que não pertença, que não mereça, que essa sensibilidade que te faz querer arrancar os nervos é sua maior fraqueza. Então escrevo para que saiba que suas pernas são feitas de carne e o teu coração de sangue. Para que lembre que os sentimentos não tem pudor e você não deveria ter também, que o momento que você andar nua e em brasa, com cada poro do seu corpo queimando é o momento que está fazendo a coisa certa. A sua matéria não admite covardia, aprenda isso agora, para que se poupe de pensamentos acelerados que te fazem chacoalhar com a sensação que se você abrisse a boca e gritasse iria abrir uma cratera na Terra e acordar o mundo inteiro.

Então fique bem minha pequena e se cuide. Se entregue.

Mesmo com medo, mesmo doendo, eu precise que você não pare. Por mim, por você, por nós e por todos outros corações estranhos, fodidos , que sentem demais e choram demais. Eles precisam de alguém que sobreviva e você precisa de um herói.

Então abra seus olhos e arrume sua cama. Não pelo seu emprego, não pela sua família ou o seu menino.

Mas por você.

Fique bem e me escreva mais vezes, afinal a saudade só é bonita quando correspondida.

Com todo meu carinho

B

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Beatriz Felix’s story.