Quartos escuros

Aqui nesse quarto escuro, o universo se encolhe

Me dobra como papel e me tira o sono

Aqui onde dorme o medo

O desejo

Sem freios

Aqui

Na gaveta de giletes

De peles

Aqui onde morre o riso

Aqui onde me viro

Aqui onde sobrevivo

Na casa fechada

Na porta trancada

O que ninguém fala

O que não cala

O barulho

O entulho

O seco

O inteiro

(Dilacerado)

O meio.

Eu morro

Eu vivo

Eu respiro

No fim do dia

(É preciso ficar sã)

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.