Um conselho de amor para B

Sim, estou falando das suas andanças.

Dos mil caras beijados que você nem lembra o nome, ás vezes nem o rosto. Das camas desconhecidas e da sensação de caminhar nessa cidade cinza esperando trombar com qualquer pessoa que te tire dessa anestesia que você mesma aplicou.

Eu te conheço, e eu não preciso de uma mensagem sua as duas da manhã me perguntando porque nunca da certo com ninguém para saber que isso passa pela sua cabeça agora.

Sim, agorinha dentro desse táxi com cheiro estranho, voltando para a sua casa. Sabe, B, eu bem que gostaria de adoçar sua boca e dizer que é só questão de tempo. Que logo ele aparece, que aliás ele pode muito bem ser esse último carinha que você beijou, mesmo que ainda sinta o gosto da cerveja dele nos lábios e de ter errado seu nome três vezes numa noite.

Mas eu preciso lhe dizer minha querida, você espera demais. Espera homens que parecem bonecos de cera com cara de pseudo-intelectuais e camisetas dos Strokes. Caras que entregam flores e não possuem nenhum problema aparente para procurar um analista. .Ahh minha querida… o que lhe dizer se não a verdade? Você vive nesse conto de fadas, nessa sala de cinema claustrofóbica e velha.

B,minha querida, a vida não acontece dentro de uma sala de cinema. O que você procura não pode ser um boneco de cera. Por que a vida exige gente. Exige alguém para segurar seu cabelo enquanto você coloca todo o seu jantar para fora em um pronto socorro em um domingo de madrugada, ou para te comprar um cigarro mesmo não concordando com o hábito, só porque seu dia foi uma merda e você precisa descontar de alguma maneira mais “adulta” que não seja ligando para a sua mãe.

São aniversários de primos, casamento do seu melhor amigo. Festas estranhas que você só entrou de penetra para ter o que fazer em um sábado á noite. É o braço que te enlaça a cintura no meio da madrugada. A blusa surrada do Batman que você usa todos os dias para dormir e só coloca para lavar no final da semana. São chaves perdidas, pílula do dia seguinte comprada na farmácia da esquina, aquela música incrível tocando no carro, nesse exato momento que te escrevo isso.

É o carinha da faculdade, a chuva no meio da tarde, o cheiro do seu livro favorito. A vida exige ação, exige coragem, exige gente de verdade. Então minha querida B, recolha seus sapatinhos de cristal, pois o príncipe não vai te dar um beijo a meia noite, vá para a casa, tire essa roupa, esses homens de cima de você e vá viver.

Pelo amor de Deus, vá viver e que dessa vez, seja por você

Like what you read? Give Beatriz Felix a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.