#SÓ ASSIM PARA SER…

Bem, eu supostamente deveria escrever um artigo falando sobre o consumo, porém eu não consigo ver como falar desse tema, sem antes tratar das redes sociais, que nos cercam no dia a dia. Isso me leva a perguntar quantas hastgats você usa por dia e como as usa?

Você sabia que as hastags servem como um password? Ela conecta a sua imagem ou texto ou mídia aos demais assuntos que já estejam em circulação, desse modo a sua publicação pode ser visualizada por um número muito maior de pessoas. Isso parece até magica, em um mundo onde as curtidas são importantes para sua relevância social, mas em contrapartida essas mesmas hastags ajudam a grandes empresas a monitorar seus hábitos de consumo e estilo de vida com o intuito de fazer o melhor anuncio para você.

Muitas vezes aqueles banners eletrônicos que aparecem nas laterais das suas páginas ofertam exatamente o que você estava procurando com um preço bem baixinho, e muitas das vezes te levam para sites que você nem mesmo sabia ou em que o preço está diferente.

Por impulso você se sente atraído e clica para ver aquela promoção, pronto você foi capturado pelo SEO, um otimizador de buscas, que conecta e mostra a sua pesquisa com grau de relevância com base nos seus últimos sites visitados no histórico. Você deve estar se perguntando como eles conseguem isso, certo?

Os SEO’s conseguem essa informação através dos cookies que temos instalados no nosso sistema. Esses cookies funcionam como pequenos robôs que nos monitoram e classificam o que mais gostamos de ver, ouvir e pesquisar online.

Eu também fiquei um pouco aterrorizada com isso quando o meu professor de cibercultura me contou pela primeira vez, e me fez enxergar como estamos expostos as grandes empresas que podem coletar de dados durante nosso uso, mas uma coisa naquela aula me aliviou, eu nunca fui do tipo de pessoa que gosta de deixar rastros por ai, então sempre utilizei aquela função de “guia anônima”.

Além de dar um ar de mistério e deixar a pesquisa mais interessante, este modo te protege de ser monitorado por grande parte dos cookies, por não salvar seus dados no histórico a quantidade de propaganda é mínima e muita aleatória de forma que não me aguça a curiosidade para clicar e comprar.

Voltemos então ao tópico inicial deste artigo, o consumo, você consegue se lembrar de quantas vezes viu aquele objeto que te aguçou o desejo de comprar um igual por que ficou muito bem em uma atriz famosa ou na foto daquela amiga que tem jeito de influenciadora digital e como consequente tem milhares de seguidores? Sim, não?

Bruna Marquezine fazendo propaganda do refrigerante Fibs

Então se você não se lembra, eu me arriscaria a dizer que provavelmente você chegou a loja que vende aquele mesmo objeto pela hastag, localização ou até mesmo porque nos comentários ela respondeu, porém o que as famosas não costumam dizer é que muitas delas ganham as roupas, acessórios e até mesmo viagens para publicar, as vezes muito mais do que isso essas pessoas ganham dinheiro e olha não é pouco para venderem aquele estilo de vida para as demais.

Marketing ou não, somos todos mais um a consumir e a tendenciar o consumo dos nossos amigos e seguidores, a dar mais visibilidade a um produto, ganhando ou não para isso, então que hastag vai ser hoje?