a sorte do “deslizar para a direita”

Lembro da primeira vez que te vi, do teu acenar, do frio na barriga que eu senti e do medo que eu tive de caminhar pra uma furada outra vez. Joguei o medo pra escanteio, passei meu perfume, arrumei o cabelo e desci, de Havaianas nos pés, como quem tava completamente à vontade. Te cumprimentei com dois beijinhos e pedindo desculpas pelo atraso, afinal, você me pegou de surpresa e eu nem pretendia sair de casa aquela noite.

Meus olhos te percorreram por inteiro, prestando atenção à cada detalhe teu e logo se encantou com a pulseira de bolinhas de madeira. A pulseira encantou, a conversa cativou, o carinho conquistou e quando eu vi estávamos andando, rindo e falando sobre as coisas boas e ruins da vida.

“Você me apareceu
Fez o tudo virar nada
E vice-versa”

Num dos assuntos, lembro que você foi sútil de primeira ao perguntar do que eu estava fugindo, e bem direto em seguida ao dizer que as fotos com o meu ex que ainda estavam no meu Facebook tinha lhe causado confusão. Achei isso incrível pra um first date, e me abri, sincera. Te expliquei sobre não fugir de nada mais, e sobre a simples preguiça de apagar as fotos… e acabamos engatando em conversas sobre relacionamentos passados e em como estamos caminhando pra nos amar mais antes de querer amar outro alguém.

Horas mais tarde, você descobriu que esse era um discurso que tava marcado em mim, pra sempre, em forma de tatuagem. E a partir do momento em que você começou a desvendar os meus desenhos na pele e me permitiu conhecer cada parte sua, senti o meu corpo todo estremecer. Recordo de olhar pros teus olhos, fitar a sua boca e ouvir você sussurrar que amava os meus lábios - mal sabia eu que tava me apaixonando logo ali.

“ It’s the sunrise
And those brown eyes
You’re the one that I desire
When we wake up
And then we make love
It makes me feel so nice”

Daquela noite mal dormida em diante, não houve mais um dia sequer em que não estivéssemos juntos. Dali pra frente eu conheci tuas casas, teus livros, teus amigos, teu refúgio. Conheci teus gostos, tuas mágoas, tuas dores e tenho compartilhado as minhas mesmas coisas contigo.

Da sorte do “deslizar para a direita” recebi o melhor parceiro de sempre! Obrigada por cuidar de mim e por ser exatamente quem é. Amo te, muito!

Like what you read? Give Beatriz Palmieri a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.