outra noite, outra briga, outra crise.

choro, meu cérebro toma as rédeas e então…

não sei, não me lembro.

medo? culpa? angústia? desesperança?

tudo. e nada.

levanto. vou para o banheiro. entro no chuveiro.

falta de ar. não sinto meu corpo. não sei quem sou.

medo. e agora é certeza.

vou desmaiar. só então, ali, a beira do colapso, ela volta.

can you feel me? can you? please, hold on, stay here. you’ll be fine, i promise you, just stay here, stay with me. i will always be here for you. you can do it, i know, you did it a lot, you won so many times before, do it now, please.

não sei porque ela não veio antes.

por que não fala comigo em português?

ela existe? fruto da minha imaginação?

não tenho resposta.

mas se ainda estou aqui, então…

obrigada por me salvar tantas vezes.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Beatriz Prado’s story.