Homens que não sabiam amar as mulheres

Numa conversa entre colegas de trabalho, conto sobre meu carnaval que apelidei de Profano. Na ocasião, para chegar numa pessoa, jogava glitter e imediatamente perguntava se ela queria me beijar. Devo ter beijado alguns que nem a cara eu me recordo direito, mas não era bem o objetivo arrumar um romance de época. Após contar esta história, o menino que estava presente no ambiente disse:

- Mas isso assusta.

-Mas macho assusta com qualquer coisa- interrompi indignada. Não justifiquei, mas não são poucas as matérias escritas por homens dizendo que adoram mulheres que chegam neles, mas tem aqueles que já escreveram dizendo que mulheres assim são atiradas e preferem conquistar. Enfim, um objeto a ser estudado.

Nesta semana li dois textos sobre mulheres difíceis de serem amadas. Uma citou a nova música de Lorde, que terminou recentemente um namoro de 3 anos. Na música Lorde diz que é um fardo para seu ex amante, que é difícil demais de ser amada e por isso é sempre descartada após se mostrar intensa em algum momento da relação. Algo parecido vemos na poesia da Warsan Shire, traduzida pela Taís Bravo para o coletivo Mulheres que Escrevem

Então acho que vou para casa
Para os braços da garota que amo
O único amor que eu não arruinei
Ela é tão difícil de agradar
Mas ela é uma fogueira na floresta
Eu faço meu melhor para agradá-la
Lorde- liability

Nos 2 textos a conclusão é praticamente a mesma. Somos difíceis de sermos amadas por sermos intensas, por não sermos tão intensas, por demonstrarmos nosso amor todo, por termos medo disso. Sempre seremos julgadas pelos nossos parceiros por amarmos do jeito que amamos. É uma verdade, claro. Mas uma verdade inconveniente.

Um belo exemplo de verdade inconveniente é quando estou em algum lugar, por exemplo, e alguém, que julga estar infeliz, me pede um sorriso. “Vamos, Beatriz, sorria”; “não seja mal humorada Beatriz”; “você não está gostando??”. É verdade que provavelmente estou séria e mal humorada. Eu sou assim, meu não sorriso no meu rosto é intimidador. Mas é inconveniente lembrar disso o tempo todo, como se sorrir fosse uma obrigação para demonstração de felicidade.

Dizer que somos difíceis de sermos amadas é afirmar o que já sabemos e lembrar-se disso dói. A sociedade não ensina a ninguém a amar as mulheres, nem a nós mesmo, que mesmo feministas ainda pensamos que somos melhores que as atuais dos nossos exs. Nos amar é uma desconstrução. Acontece que na verdade, correndo contra a corrente de entender que somos complicadas, somos facinhas de sermos amadas.

Vejo por mim: Sou inteligente, gata para cacete, gostosa, maravilhosa na cama, com um papo maneiro, um ótimo gosto musical e super culta. Até dizem a mim que sou uma pessoa difícil, sou lida deste jeito. Mas não sou não, sou mega fácil de apaixonar por mim. E imagino que você, mulher que está lendo este texto, também. Você é incrível, independente, linda e emponderada. Por que não te amariam???

O que acontece é que não é que somos as mulheres difíceis de serem amadas. São os homens que não sabem amar as mulheres. Que acham que amor é um ciúme exagerado, que tem ciúme do passado, do presente, mas não nos tratam como preciosidades. Que falam eu te amo o tempo todo, mas não é o que sentimos. Como eu li em algum lugar, não temos que ser muita areia no caminhãozinho de ninguém. Somos nossos próprios caminhões. E não, manas, não é fácil manter a auto estima neste mundo onde quase não a temos. Mas não podemos nos deixar vencer sob este fato consumado. Não, jamais.

.

.

.

Quer algum conselho sobre algum assunto que você não conta nem para seu amigo mais próximo??? Como diria a titia Tetéia no nosso primário, sua dúvida pode ser a dúvida do outro: mande um email para beatrizquadros@yahoo.com.br e eu te ajudo.