Não era amor, era tesão

Depois de uma noite de sexo, viro para o lado e converso com meu namorado (da época). Como o mesmo havia me dito que estava apaixonado por mim, senti a liberdade de dizer “eu te amo” para ele. Eu sentia vontade de ficar junto, de comê-lo por inteiro, de transar toda vez que o via. Sentia saudade sim, vontade de ficar abraçada e dar carinho. Isso é amor, né?Não é o que nos ensina? Então fui lá e disse. Mas a realidade é que: eu não me importava se ele tava mal ou não. Não queria ouvir os problemas de homem cis dele. Eu só queria uma coisa: pentada violenta.

Depois de passado algum tempo, o distanciamento da situação me fez ter certeza de algo que sempre soube: Normalmente não é amor, é tesão. É fácil confundir um com o outro, principalmente quando estamos com uma ideia introjetada de que para seu relacionamento dar certo e passar dos 3 primeiros meses bem precisamos amar um ao outro logo de cara, ignorando as etapas importantes de qualquer relacionamento entre humanos. Quase uma obrigação dizer as 3 palavras para seu recém chegado parceiro ou parceira nos primeiros meses. Se passou de 5 meses e você ainda não disse nada, meu Deus, foge da cilada.

O porém que nem sempre estamos de fato amando a pessoa. Transar nos primeiros meses de namoro como se fosse coelhos não é uma demonstração de amor profundo, é só muito tesão. Amor é uma construção, é um grão colocado a cada dia numa praia. Amor tem confiança, respeito, carinho, ternura, tudo junto mesmo. É algo além do “olho pra boca dela e penso ela me lambendo.”

Já ouvi de algumas pessoas a frase “nunca namoraria uma pessoa se ela não me dissesse Eu te amo”. Não foram uma, mas várias, senão a maioria. É como um passaporte para um relacionamento sério. Claro, ninguém quer se relacionar com alguém que te odeia logo te cara, queremos e esperamos amor do outro. Mas ultimamente tenho querido mais respeito do que “eu te amo” ou algo parecido. Afinal, “eu te amo” não é um bom dia.

“Mas eu sinto uma coisa aqui na minha barriga, isso não é amor??”. Olha…. Não. É tesão. Vontade de transar, de morder, de fundir a pessoa… É tesão, só isso. Não significa que não haverá nunca amo, mas sim que este está em construção e crescendo. O tesão não traz amor e amor não traz tesão. Veja, nem todo amigo você quer transar e nem todo peguete você quer amar. Tem diferença e ela é bem tênue. Então como não confundir amor e só tesão e isso não ser uma cilada? Então… Ainda não sei.

Não tem nada de errado só querer sexo com a pessoa, principalmente se isso for honesto para vocês. Também não tem nada de errado de você achar que é amor mesmo e precisa compartilhar isso com ela. Mas saibam que amor é mais do que se masturbar pensando no seu ficante. É além, bem além. 

.

.

.

Quer algum conselho sobre algum assunto que você não conta nem para seu amigo mais próximo???

Como diria a titia Tetéia no nosso primário, sua dúvida pode ser a dúvida do outro: mande um email para beatrizquadros@yahoo.com.br e eu te ajudo.

Like what you read? Give Bia Quadros a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.