Constatamos que 90% dos usuários que tentaram conversar “digitando perguntas abertas”, eram desenvolvedores que trabalham nesse “novo mercado”;
90 dias de aprendizado com o Protettabot — o bot de seguros
Leonardo Rochadel
162

Isso é uma informação bem interessante. Usuários querem objetividade, querem que o bot resolva um problema específico e com um UX baseado em taps isso se torna ainda mais rápido. Quanto menos digitar, mais rápida será a resolução do problema.

Já os desenvolvedores de bot estão sempre querendo testar se o bot sabe responder coisas aleatórias ou se sabe ter uma boa conversa.

Gostei muito de como vocês preferiram ir pelo caminho mais objetivo e usar mais os botões para facilitar a vida do usuário.

Parabéns pelo trabalho!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.