Nunca

Lembrar do encontro que não tive, do beijo que não experimentei, dos desejos que não sussurrei.

Lembrar do abraço que não senti, do sorriso que não vi, do aconchego que não conheci.

Olhar pro canto da rede que nunca estivemos, deitar na cama que nunca bagunçamos.

Ouvir as músicas que nunca foram nossas, pensar nos lugares que nunca estivemos, confessar o que nunca foi segredo.

Desapegar do que nunca foi meu, fingir não existir algo que nunca existiu, juntar presentes que nunca foram dados. 
 
Chorar por algo que nunca começou. 
Seguir numa fossa que nunca foi. 
Seguir com o eu que nunca foi seu.

A single golf clap? Or a long standing ovation?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.