Saúde mental é diferente

Esses dias, na terapia, em peguei falando uma coisa bem séria. Estava cansada e um pouco sem esperanças de uma “cura”, de um bem estar total (plena). A verdade é que essa sensação de bem estar total é uma ilusão, nunca vamos ter uma vida sem problemas, sem questionamentos, sem tristezas… A vida é uma montanha russa de altos e baixos. A ideia de felicidade que eu tenho, hoje, é que os altos sejam mais duradouros que os baixos e que os baixos nos ajudem a segurar a respiração para uma nova aventura. Por bastante tempo acreditei que felicidade era estar apenas “no alto”.

Nesse dia eu falei:

Queria ter uma doença localizada. Queria um tumor… (olhando pra baixo, aponto para a coxa) Queria um tumor bem aqui na perna, eu iria ver ele, fazer exames, fazer uma cirurgia e melhorar. Me curar.

Logo depois eu percebi o absurdo que eu disse. O que eu realmente queria expressar é que uma doença mental é desgastante. O diagnóstico demora e nem sempre você o aceita. Quando o diagnóstico chega é mais difícil ainda, não dá vontade de contar pra ninguém. O tratamento demora, os comprimidos aliviam alguns sintomas mas o principal é a conversa, a terapia, criar (por conta própria) mecanismos para lidar com a dor, o sofrimento.

Isso tudo é bastante complicado. Nada da saúde mental é objetivo, 100% certo. Todo dia é um passo e um aprendizado.