Eu e a natureza

Eu gosto de caminhar pela rua olhando as plantas ao meu redor. De olhar como as folhas das árvores balançam devagarinho. Como mudam de cor ao fazerem sombra umas nas outras, como os troncos e galhos são rebeldes, harmônicos e pacíficos. Como não se incomodam. Gosto de observar como as cores mudam sutilmente contra o sol, a intensidade do verde, do amarelo, do colorido. De como brilham com a chuva e se divertem, e do cheiro maravilhoso que deixam depois.

Gosto de parar o carro no farol, apoiar meus braços no volante e olhar pro céu. De sentir a sua imensidão azul, branca, cinza, rosa, laranja. De olhar a chuva e ver as gotas caindo com gracejo sobre tudo. De observar a forma das nuvens, de como elas caminham sem pressa. De como há muito pra se olhar, de dia e de noite, não importa o clima.

É impossível não olhar todos os dias para as mesmas plantas e pro mesmo céu sem encontrar algo novo, vibrante e lindo ali. Uma folhinha que não reparamos, um movimento calmo, uma nuvem diferente, um cheiro gostoso.

Olhar pra natureza me dá uma paz instantânea, como se mais nada importasse e só existissem eu, as plantas e o céu durante aqueles breves instantes.

Depois o farol abre, a gente chega em algum lugar e volta à rotina. Mas o sentimento de paz e felicidade fica ali gostoso, leve e tranquilo no coração. Todos os dias.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Bell Lopes’s story.