A arte de encontrar o propósito sem perder os boletos de vista

Ou: propósito na vida adulta, modo hard, sem continue infinito.

Foto: David Skander

Diz aí: qual é o seu propósito? Não precisa responder não. Até porque sou contra essa pergunta ser feita dessa forma, como se fosse o ponto que você prefere seu hambúrguer ou o sabor da sua bola de sorvete. Calma lá, né?! Tem coisa que não dá pra responder assim. Mas tem muita gente achando que precisa. E é daí que nasce um grande motivo pra ficarmos angustiados.

Desde que Simon Sinek entrou em nossas vidas, dizendo que precisamos saber por que fazemos o que fazemos, tem gente que nem dorme mais. Encontrar o propósito pessoal virou algo tão urgente quanto pagar as contas no fim do mês. Inclusive porque é ele, o propósito, que vai me dizer se devo continuar no meu trabalho ou abrir minha própria empresa; se continuo morando aqui ou se tiro um ano sabático; se caso ou faço aula de mandarim. Quem sabe até viro personagem dessas matérias sobre “largou tudo e foi em busca do seu propósito”.

Foto: Simon Sinek / TED Conference

Para algumas pessoas é possível tirar o ano sabático, fazer aulas de mandarim e abrir a própria empresa. No entanto, pra todas as outras, vem a pergunta que não vai poder ficar sem resposta: e os boletos?

Se você não pode ignorar o chamado dos papeizinhos com códigos de barra, chega aqui mais perto pra gente ter uma conversa séria. Não se preocupe. Seu propósito não está escondido na Europa, nem escrito em mandarim. Se tem algo que venho aprendendo é que propósito é caminho e ele começa exatamente onde você está. Não coloque-o num lugar idealizado e distante, isso sim vai gerar frustração e inércia. Dê vida a ele dia a dia, nas pequenas coisas. No fundo, ele tem mais a ver com a forma como você se posiciona do que com o lugar que ocupa.

O caminho pode ser mais longo, sem trechos tão bonitos pra postar no Instagram, pode dar voltas e pode até ser mais difícil, mas será de verdade e será seu. Além do mais, como diria um personagem de Game of Thrones:

“Às vezes, estradas diferentes levam para o mesmo castelo.” — Jon Snow

É urgente, mas não precisa ter pressa. A sua verdade está no trajeto e não no destino. Apenas chegar lá não é garantia de encontrar a resposta. A cada passo adiante você não fica mais perto do seu propósito e sim experimenta e dá vida a ele. Agora vai. Menos discurso e mais percurso.

Foto: Jake Hills