Frances Ha e o futuro (o meu)

Frances tem 27 anos, uma faculdade e nada além de sonhos. E isso é pouco pros 27? Por mais que ela pense que não, o mundo lhe dá sinais de que ela precisa crescer. Quando a gente passa dos 20 a maior exigência da vida é essa: crescer. Mas o que isso significa, exatamente? O peso que mais senti quando cheguei aos 20 foi o da “decisão compulsória”, isso quer dizer que quando você atravessa a linha imaginária entre a adolescência e a idade adulta, você precisa saber o que vai querer pelo resto da sua vida. É como se o seu destino começasse a ser traçado e, quem você é naquele momento, definirá quem você será para sempre. Então a cobrança vem de todos os lados, inclusive de você mesma. Enquanto a sua volta, exaltam “os 10 jovens que alcançaram o sucesso antes dos 30” e aquelas coleguinhas de escola estão ostentando fotos com seus maridos e filhos fofíssimos. Por mais que aquilo não te encha os olhos, você começa a se perguntar se tem algo errado em ter passado dos 20 e ainda ter dúvidas sobre si mesma e o seu futuro. E começa a se sentir mal por não ter conquistado nada mais que um diploma que, se serviu de algo, foi pra te dar um emprego que não te faz feliz. Eu tenho quase 27, nenhuma conquista que eu possa me orgulhar antes dos 30, mas assim como a Frances, eu tenho sonhos. Nenhum deles envolve constituir família ou ficar rica (claro que, se a segunda vier como consequência, eu não vou achar ruim). Deixar a casa dos pais pra buscar viver do que ama, sem emprego fixo, moradia e pouco dinheiro, nunca vai ser tão bonito e bem humorado quanto em um filme de Noah Baumbach. Na vida real, a elegância da fotografia em preto e branco é trocada pela policromia dos problemas e da correria do dia a dia. A trilha sonora com Mozart, David Bowie e Paul McCartney é substituída pelos sons das buzinas, dos passos apressados e das opiniões desnecessárias. Acho que Frances Ha é uma caricatura lúdica dos anseios de jovens que não se contentam com ideia de que precisam ser grandes, mesmo que isso não os faça felizes. É um filme sobre pessoas que, depois dos 20, ainda têm muitas dúvidas e inseguranças. Uma história de garotas como eu, que apesar de terem colecionado algumas frustrações, ainda acreditam que podem encontrar o caminho que as fará sentir realizadas.