Aspie: entre o silêncio e o excesso de palavras

Não há nada pior do que a sensação de ser mal-interpretado ou de incomodar quando você não tinha a intenção. Te dá vontade de entrar em um buraco e nunca mais querer sair. São duas coisas que vou ter que aprender a conviver para o resto da minha vida e que podem piorar com o passar dos anos.

A parte chata de ser aspie: as pessoas te interpretam de forma errada. Uma vez levei advertência no trabalho porque parecia mal-humorado, quando eu sempre me esforçava para sorrir e ser educado com todo mundo. Acontece que seu rosto nem sempre expressa a emoção certa.

A mesma coisa com as palavras. Às vezes, você fica ansioso por usar uma palavra fora de lugar, que pode alterar todo o sentido do que você quis dizer. Além de ser sincero demais e/ou falar demais sobre o seu assunto de preferência (no meu caso, livros), sem saber a hora de calar.

Perceba o quanto isso é irônico para um escritor.

*Para quem quiser entender um pouco sobre os comportamentos de Asperger na vida adulta, recomendo assistir ao filme: Adam (2009)

Assista ao trailer de Adam:

Veja também: Asperger (Forma leve de autismo): Graphic novel francesa ajuda na conscientização