Escrita Maldita está disponível em versão impressa na Amazon

Para quem me acompanha no blog e nas redes sociais, eu tinha anunciando que o livro de terror Escrita Maldita estaria disponível impresso na Amazon. A Amazon está testando um serviço novo para autores, que ainda está em fase Beta, o KDP Print. Por enquanto, o livro está disponível em eBook na Amazon Brasil e os livros impressos pelo KDP Print, mas não são vendidos na loja brasileira, eles são vendidos na Amazon Internacional nas lojas dos seguintes países: Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, França, Espanha, Itália e Japão.

Recebi hoje os exemplares que eu comprei para avaliar como ficou o livro e decidi compartilhar com vocês para quem tiver curiosidade e/ou para quem também é autor nacional independente e está pensando em disponibilizar a opção de capa comum no KDP (Kindle Direct Publishing). Ia gravar vídeo para o canal do blog no Youtube mostrando para vocês, mas o ambiente estava cheio de ruídos (aproveita para se inscrever e ficar por dentro das novidades, que em breve devo gravar mais vídeos com indicações de leitura).

Para quem ficou interessado, no momento eu não tenho exemplares do livro impresso de Escrita Maldita para vender. Eu comprei apenas três para testar o serviço deles. Inicialmente, o livro vai ficar disponível por esse serviço. Estou ansioso para liberarem a opção de distribuição para a loja brasileira e quem sabe algum dia a Amazon não invista em uma parceria com gráfica nacional. O preço ia ficar mais acessível e ia ser muito mais fácil para os leitores comprarem com facilidade. Devo fazer uma tiragem em breve para revender, pois até como autor fica mais caro para mim comprar fora, por causa do frete internacional.

O KDP Print ainda não está com todas as funções disponíveis como o CreateSpace, outro serviço de impressão da Amazon. As únicas desvantagens do CreateSpace em relação ao KDP Print são a falta de distribuição na Amazon do Japão e as diferenças de cadastro individuais, enquanto o KDP procurou facilitar, consolidando os royalties de eBooks e livros — ou seja, você recebe os royalties simultaneamente no mesmo cadastro, além de exibir os dois livros automaticamente nas lojas em que estarão disponíveis a versão impressa. O KDP Print ainda não possibilita ao autor solicitar cópias físicas de prova para conferir como o livro ficou antes de lançar oficialmente na loja, solicitar cópias de autor por atacado e distribuição expandida para livrarias e sites fora da Amazon. A empresa ainda não divulgou quando as novas funcionalidades estarão disponíveis e os autores internacionais independentes também estão perdidos em relação à publicação pelo KDP Print. Muitos continuam insistindo e defendendo o CreateSpace — resistência que acontece sempre que um novo serviço é lançado e ainda não foi completamente testado.

A capa de papel é bem mole, lembra bastante as edições econômicas, mas o miolo é bom. Fora do Brasil, as edições paperbacks são bem comuns, enquanto aqui temos preferência por edições mais resistentes. A qualidade da impressão ficou muito boa. Alguns detalhes da capa não apareceram, talvez por precisarem de mais cor e contraste ou uma aplicação de relevo, mas isso é algo a considerar caso for fazer uma tiragem em alguma gráfica aqui no país. A limitação de opções de impressão no KDP Print é algo a ser considerado também na hora de escolher, enquanto alguns serviços de impressão por demanda oferecem até opção de capa de capa dura.

Outra dificuldade que encontrei na hora de comprar o livro foi com o pagamento. Apesar de meu cartão de débito ser internacional, a Amazon tentou realizar o pagamento três vezes e não obteve retorno do banco. Para quem tem cartão de crédito, acredito que é mais fácil. Tive que fazer outro pedido, pois o antigo acabou sendo cancelado e fazer um cartão pré-pago de crédito, o que acabou facilitando: na hora de fazer a recarga através de boleto bancário, ele converte o dinheiro para dólares. O cartão pré-pago é virtual e consegui realizar a compra no mesmo dia.

A vantagem do KDP Print é possibilitar ao leitor comprar o exemplar, sem que o autor tenha que imprimir antes, o que é ótimo para autores independentes. Porém, como o serviço é realizado fora do país, o preço fica acima do que seria se fosse impresso e distribuído aqui dentro. É algo a se pensar. Lembrando que o serviço de impressão deles não pede exclusividade — se você optou por usar o ISBN gratuito do KDP ou do CreateSpace, a única restrição é que ele não poderá ser usado com outra editora ou plataforma de autopublicação. Você pode vender o livro por outros serviços de publicação por demanda, assim como acontece com os eBooks, desde que o livro digital não esteja cadastrado no serviço Kindle Unlimited. Escrita Maldita faz parte do Kindle Unlimited, então, por enquanto, no formato de eBook só pode ser comprado na Amazon.

Para quem me acompanha no Wattpad e/ou gosta de livros de fantasia, em breve o meu livro O Círculo, o primeiro da série Os Bruxos de São Cipriano, deve estar disponível no formato impresso também. Devo mantê-lo para leitura gratuita na maior plataforma de livros online do mundo. Até o momento, o primeiro livro da série de fantasia com temática de bruxaria conta com mais de 50 mil leituras e o segundo, O Livro, com mais de 10 mil leituras, além do spin-off Enfeitiçado, com quase 4 mil leituras, que além de explorar o universo da magia, também traz um protagonista gay lidando com seus próprios dilemas e feitiços.

Fiquei satisfeito com o serviço do KDP Print, embora os preços não sejam tão animadores para autores que moram em outros países — problema bem comum relatados por autores estrangeiros. Para quem mora nos Estados Unidos, parece ser bem vantajoso, pois além de disponibilizar pela internet e dos preços acessíveis, serviços como o CreateSpace disponibilizam a obra em outras livrarias e lojas online, aumentando as chances do seu livro ser vendido e encontrado por leitores. Já para quem mora fora, o valor do frete internacional, a taxa de câmbio e o tempo de espera até o recebimento do livro são frustrantes.

Pequenas vitórias devem ser celebradas. A jornada do escritor é cheia de desafios e sacrifícios. O preconceito literário com escritores brasileiros e autores independentes ainda são bem fortes no país. Outro desafio vai ser a distribuição, mas um passo de cada vez. Enquanto aposto no mundo de autor independente, até alguma oportunidade melhor de publicação tradicional aparecer, vou fazendo o que posso e me desdobrando. Ser autor independente é desafiador, você precisa saber fazer de tudo um pouco: capa, diagramação, revisão, marketing… É preciso se organizar, ou a escrita acaba ficando em segundo plano, além da tão importante leitura. Para quem tem me acompanhado nesta jornada, deixo aqui a minha gratidão!

*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e do livro de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1), disponível no Wattpad.