sou o romântico bobão. Eu saboreio a pessoa. O olhar, o sorriso, a ponta dos dedos, as cicatrizes e as histórias, o cheiro da nuca que é diferente do do seio, a pele arredia levemente banhada de sol e isto só para falar do físico! O metafísico, extracorpóreo, no modo de concatenar as ideias, as músicas espontâneas cantaroladas, as opiniões contundentes sobre cada assunto. O amor no trato com qualquer sujeito na rua, o carinho infantil que divide com as crianças, a voz doce que me falava ao ouvido.
Ela falou que eu encontraria uma gostosa e a esqueceria rapidamente
Diego Orge
122

É algo muito maior do que os “sentimentos Express”cultivados hoje em dia.