Ajudando Mulheres a se tornarem Palestrantes TECH — #1 Desconstrução do Medo

Ada Lovelace — 1ª programadora da história

Tudo sempre começa com o medo. É dificil falar sobre público, palco, apresentar algo, ser mulher em um ambiente machista, sem começar por ele. Por isso, quis trabalhar o conceito do MEDO.

“O medo é um sentimento que proporciona um estado de alerta demonstrado pelo receio de fazer alguma coisa, geralmente por se sentir ameaçado, tanto fisicamente como psicologicamente. Pavor é a ênfase do medo. O medo pode provocar reações físicas como descarga de adrenalina, aceleração cardíaca e tremor. Pode provocar atenção exagerada a tudo que ocorre ao redor, depressão, pânico, etc”

Uma das formas mais comuns de manifestar o medo, principalmente em cima do palco é mentir, mascarar algo, e até mesmo adotar uma postura arrogante. Algumas outras pessoas desenvolvem um falso humor, ou seja, brincadeiras totalmente desconectadas com a missão de trazer uma sensação de proximidade ou acolhimento. Em muitos dos casos, é nesse momento que saem as maiorias das brincadeiras ofensivas e constrangedoras.

O medo nos tira da realidade, mas nos mantém alertas, ou seja, sabemos que na maioria dos casos estamos mentindo ou fazendo algo errado, mas ele é tão forte que usa isso como uma estratégia de fuga.

As mulheres sofreram e sofrem tanta pressão e opressão, que o medo físico e psicológico se soma ao maior medo do ser humano. Falar em público! Você sabia que no mundo de tecnologia, apenas 24% são mulheres palestrantes? Isso considerando USA que tem trabalhado a questão de gênero há alguns anos, imagina isso no Brasil? Peguei alguns eventos famosos no Brasil para termos um retrato mais real entre mulheres/palestrantes:

FrontinSampa 2016: 2/10
FrontinBH 2016: 1/9
Imasters Intercon 2016: 2/36
BrazilJS 2016: 9/23
RDSummit 2016: 23/128
RubyConf 2016: 10/82

Todos os eventos que listei acima são eventos incríveis de pessoas incríveis. Peguei exatamente os que são mais expressivos em nosso país, para mostrar que ainda estamos no comecinho do processo, ou seja, temos muito o que melhorar. Por isso, precisamos gerar mais palestrantes mulheres e sempre com mais qualidade, para que isso mude cada vez mais rápido.

A regra do jogo é muito simples!

MAIS MULHERES NO PALCO = MAIS MULHERES INSPIRADAS = MAIS MULHERES NA AUDIÊNCIA = MAIS MULHERES NO PALCO

Para acelerarmos esse movimento, temos que ir nas aspirantes a palestrantes, aquelas que tem vontade, tem o sonho, mas também possuem claramente o medo de fracassar, o medo de ser julgada, o medo de falar algo errado, tudo isso afeta e muitas vezes bloqueia. Para isso, eu te pergunto:

Qual o seu maior medo? (anote isso em um papel e reflita)
O que este medo faz com você? (anote isso em um papel e reflita)

CASE: HTML5DEVCONF
Em 2013 realizei a minha primeira palestra em inglês da minha vida, para o maior evento de Front-end do mundo, que fica simplesmente em San Francisco. Fácil né?

Eu fiquei tão feliz com o convite, mas ao mesmo tempo tão preocupado em não conseguir fazer o público entender o que eu estava falando, ou pior, eu não conseguir ser eu mesmo na palestra. Pratiquei dezenas de vezes, meus amigos me apoiaram muito ao longo da viagem, estava com medo — fui com medo — arrasei mesmo com medo.

O que você precisaria fazer para superar/resolver esse medo?
Como seria essa história se eu não tivesse me arriscado?

O melhor é que não foi a minha melhor palestra, foi uma das piores ou a pior, mas ainda sim, eu percebi porque eu me avaliei, a audiência adorou e me elogiou muito ao longo e após. O medo é algo pessoal e interno, por isso ele precisa ser lido, percebido e gerenciado.

Positive Karma — Feisty, Fearless, Focused and have Fun — Decidida, Corajosa, Focada e se Divertir

Existe uma palestrante muito famosa sobre liderança feminina chamada Pegine Echevarria, e ela tem essa frase de impacto que eu gosto muito. Embora acredite que "fearless" não seja sobre não ter medo, e sim não deixá-lo interromper o seu objetivo, acredito que você ter um manifesto pessoal te ajude a sempre enfrentar os obstáculos com força.

Para ajudá-las na missão de enfrentar seus medos, trouxe uma série de dicas para te ajudar a trabalhar com o medo. Muitas delas são famosas, estão em livros, vídeos, artigos, outras são focadas ao nosso meio.

DICAS para trabalhar com o medo

  1. Filme seus ensaios e talks — Isso te ajudará a analisar a sua postura, sua voz, sua eloquência e moldar o resultado esperado.
  2. Praticar bastante — Um palestrante não é feito de talento ou dom. Ele é feito de transpiração, suor, dedicação. Sempre finalizei minhas palestras no mínimo 1 semana antes do evento. Isso me dava dias para praticar.
  3. Viva a experiência — É o seu momento! Não encare como dor, e sim como seu momento de brilhar e se divertir.
  4. Antes da sua talk — Aproveite o começo da talk anterior para fazer exercícios de relaxamento e aquecimento. Recomendo que vá ao banheiro fazer um pips (nunca leve xixi pro palco), e coma algo leve, como uma banana. 
    Eu gosto muito de ficar cantarolando e mascar chiclete (bastante recomendado inclusive). No começo das minhas palestras, eu fazia trava-línguas no banheiro, pois me ajudava a usar o estilo de falar rápido, só que sem falar embolado.
  5. Não foque o evento no seu medo e ansiedade, pois isso só atrapalhará a sua atuação — e pior — ao acabar sua palestra e você sobreviver (e sobreviverá), perceberá então, que perdeu um dia inteiro sofrendo a toa. 
    Quando minhas palestras sao no fim da tarde, eu uso a manhã para ir à piscina do hotel, praia (se for local praiano), curtir um pouco, relaxar, exercitar. Chegando no evento, geralmente na parte do almoço. É uma forma de me dar um bem-estar que se reflete na minha talk. Se você precisa ou prefere ir ao evento cedo, aproveite o evento para prestar atenção nas outras talks, bater muito papo com as pessoas, falar bastante no almoço, lanche, intervalo, pois isso lhe deixará aquecida para o seu momento.
  6. Comece sua experiência como speaker antes de entrar no palco.
    Speaker não é um personagem. Não caia nesse erro, pois se algo sair errado ao longo da talk, você desmoronará por dentro e sairá do personagem, se desestabilizando. O ideal é você ser a mesma pessoa dentro e fora do palco. Aproveite então para que antes de ser anunciada, conversar com alguns participantes na plateia, ficando em pé perto do palco. Deixe as pessoas da plateia te virem, isso te deixará com menos medo de ser julgada após o início, pois parecerão mais amigos.
  7. Dica Fatal — Nunca peça desculpas antes de começar um assunto. Seja estar resfriada, computador lento, roupa ruim, sem voz, sem óculos, slides mal feitos. Isso comprometerá todo o seu trabalho. Deixe cada um ter sua própria conclusão.

O medo foi criado por nós e precisa ser administrado por nós. Escolha 3 assuntos que você gosta mais da sua área, e grave no seu celular 1 apresentação de 2 minutos sobre cada assunto.

Repita o processo em cima dos mesmos assuntos 3X. Você verá o quanto você vai melhorar e se sentir mais a vontade. A partir daí, é só você imaginar fazendo isso para algumas pessoas, com a mesma paixão que fez essas apresentações para você mesma :)

Gostou? Então recomende para suas amigas :) E se tiver alguma dúvida, é só comentar aqui :)