Estamos na moda do "corrupto".

Tudo se baseia em apontar alguém como corrupto, principalmente alguns políticos.

Oras, é claro que o cenário >socioeconomicopolítico< brasileiro está um caos. Incomoda e precisa ser resolvido. Num país de bolso furado, o roubo só acentua a perda.

Mesmo assim, tenho a sensação de que as pessoas não fazem ideia do que significa a palavra e estão apontando demais no outros aquilo que está mais em si mesmo do que parece. Quase uma questão freudiana de culpa e transferência. Risos.

Corrupto, em sua etimologia, provém de coração, cordis, em contração com roto, rompido, ruptura. É aquele de coração que rompeu-se e enxerga apenas pela metade dele. Não usa o coração por completo. Não possui empatia.

Também é interessante como coração está bem presente na nossa língua e não sabemos. Recordar provém de volta (re) e coração (cordis). Recordar é trazer de volta ao coração. Concordar provém dos termos con e cordis. Concordar é fazer com o coração.

Ser corrupto é discordar pelo coração partido. Que línguas poéticas as de origem latina, não? Chega passar despercebida.

Quantos de nós não somos corruptos? Quantos de nós não deixam de praticar a empatia que é se colocar no lugar do próximo evitando enxergar pela metade? Quantos de nós confundem simpatia com empatia, confudem aproximar-se por ter sentimentos em comum, estar ao lado, com se colocar dentro do sentimento alheio, se colocar no lugar do outro?

E mais. Corrupção é o ato do corrupto. Significa a ação de corromper-se, deteriorar-se, decompor-se, apodrecer.

Evitar a empatia, enxergar apenas sua metade no mundo, deixando a outra se decompondo é ser corrupto.

Como minha avó disse uma vez: "Quando apontamos para o outro, um dedo está para pessoa, três para nós e um para Deus".