é um bom começo.

pra começo de conversa, eu sempre adorei começos.

começo de hobbies, de cursos, de relacionamentos (of any kind). meu problema sempre foi com os meios do caminho — a aula de piano ficava chata de tanto “dó ré mi fá”, o livro não desenrolava pra lugar nenhum, o curso virava obrigação (tesão, descanse em paz).

quando me dei conta que começar novos hábitos era o único hábito ao qual eu me habituava (vai cérebro, você consegue. lê de novo.), decidi que começar era a meta — fosse o que fosse.

experimentando, de tudo um muito, fui construindo meus gostos e desgostos.

e nessa brincadeira de corda-bamba é que descobri que sou maluca por listas. checklists. um monte de farinha do mesmo saco empilhada. sabe do que eu tô falando, né? é.

TÁ MENINA ROBERTA, E DAÍ? EU GOSTO DE PUDIM E NEM POR ISSO TÔ ESCREVENDO SOBRE ELE.

talvez fosse uma boa escrever sobre pudim. vai saber.

todo esse texto é só pra avisar aos desavisados (no caso, todo mundo) que vou criar muitas listas malucas pra compartilhar com o maravilhoso mundo da internet. eu já construía elas no meu bloco de notas todos os anos mesmo.

vai ter contabilidade de sortes, checklist de livros, enumeração de primeiras vezes. se eu me empolgar, até minha lista de super-mercado divulgo por aqui (em breve, na capa da caras, o que rob maravillha consome no café da manhã).

decidi que 2016 vai ser um ano mais open source, mas né, nunca se sabe.

ainda é só o começo.