Amarelinha

as pedras no caminho podem ser bem divertidas, né não?

faz 3 dias que meu telefone resolveu tirar férias.

parou de funcionar, assim, do nada. ficou sem bateria e nunca mais voltou. passei até no vaticano e dei uma meditada com good vibes pro bonitinho. não rolou. consegui ir numa assistência técnica. o moço olhou pra mim, olhou pra baixo e balançou a cabeça. já elvis, ele se foi.

que ele descanse em paz.

estando sozinha do outro lado do mundo, a ideia de ficar sem GPS, despertador, tradutor, câmera, relógio e bloco de notas meio que é uma baita pedra no caminho. CORTA.

CENA 02:

a exatamente um mês atrás, eu caí de bicicleta no meio do meio da Itália e quebrei o dedão da mão direita. pós umas muitas horas na fila do SUS europeu, tinha eu 01 dedo imobilizado e 01 mês de trabalho de campo capenga pela frente (na época, eu tava trabalhando numa vinícola). outra pedra no caminho (nesse caso, literal, porque caí quando perdi o controle da bici numa estrada de pedregulhos mas ENFIM não vem ao caso tô desviando do assunto).

moça, dá pra ser linear uma vez na vida? obrigada.

eu resolvi pegar essas pedritas e pular amarelinha \o/

agora, eu escrevo num caderno de bolso, peço indicação pra pessoas na rua, pago a turista e abro mapa todo rabiscado no meio da avenida. também comprei uma câmera descartável, cantarolo quando preciso de música e a vida passa bem aqui. tá sendo divertidíssimo mochilar nos anos 70 rs

talvez a culpa da deboísse seja o dia ter começado com suco de abacaxi, limão e gengibre geladinho. talvez seja o vinho branco que custou só 1 pila e que eu tô tomando agora no terraço. talvez seja só porque eu escolhi enxergar tudo assim, colorido.

bônus: meu italiano nunca esteve tão aguçado.

em maio fiz um retiro que me ensinou uma coisa bem massa: a terra não julga quem pisa nela. sem perder a solitude, ela aceita o empurrão, e retribui a energia pra todo mundo que quer caminhar. já parou pra pensar? se cada ação gera uma reação, e cada força que a gente bota na terra, uma força igual vem pra cima da gente… tri, né? eu achei. roubei pra mim, inclusive: cada bad vibe que vem eu aceito, abraço e transformo em brincadeira. não tem ruim. não tem porquê. só tem hoje, agora, já. ai capito?

bora encarar tudo com mais gosto, com mais graça? a vida é leve pra quem quer voar, galere.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.