RBC | Ed. 103

Imagem: William Mota
“Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses.” Rubem Alves

TIAGO HENRIQUE

A CIDADE
 
As luzes se acendem 
Os carros se multiplicam 
As coisas se multiplicam 
A vida se reduz 
 
O tempo fica escasso
E maldito é o homem 
Sem tempo para a vida.
 
Alguns focos concentram a arte 
Outros se dedicam ao esporte
 
O motorista passa olhando

O motoqueiro de capacete 
Não entende o capacete do skatista 
 
Uma senhora chega a praça 
O carro de som anuncia um culto religioso 
 
A hora passa
Por hoje é só,
O tempo aperta 
E amanhã quem sabe 
Tudo começa de novo.

PAMELA SOBRINHO

Cheio dos acasos
Em meio aos casos
Eu encontrei você
Perdido em seus pensamentos
Todo cheio de ventos
Te encontrei em algum lugar
Com muitos eventos
Minha cabeça em ventos
E o acaso veio para nós juntar

Sigo agora em paralelo
Todo cheio de mistérios
Veio para me confrontar

Que nem sempre temos 
As respostas de todos os eventos
Mas o com o tempo
Tudo chega em seu lugar

TARSO CORRÊA

Escrever o sonho

O tempo passou e não tive tempo para o tempo,
Trabalhei desde menino, abraçado ao cabo da enxada,
Brigando com a terra ressecada,
Maltratando minha alma magoada;
Acordava com a noite banhada pelo relento,
Pegava minha matula e ia para o campo,
Ganhar meu sustento, cantando meu pranto;
É, o tempo passou e hoje com as mãos tortas e calejadas, visão embaçada,
Aperto o lápis tentando expelir as letras,
Que teimam em sair tremidas no papel,
Como hieróglifos ininteligíveis, garranchos sofríveis;
Sou um cego que vê o mundo e não entende,
Nos neons e outdoors,
De vários tons e sons;
Sou dependente neste mundo restrito, menor;
Hoje, quero ser e ter um mundo maior,
Deixar o obscuro , saltar este muro,
Ser acessível,
E, tornar meu sonho possível.

BRENDOW GODOI

Pinos mágicos de solidão

Cheirei a noite inteira. 
Pinos mágicos de solidão. 
Por não ter tido uma grande ideia. 
Por não ter sido o pai dos seus filhos. 
Por não ter esquartejado esse amor 
quando ainda era tempo.

Esquartejado e ter deixado cada pedaço (morto) 
em cada rua escura e (falsamente) inabitável 
onde eu estacionei o meu carro velho e transamos 
e transamos.

O calor dos últimos dias é insuportável. 
Mas eu mantenho a porta e as janelas fechadas. 
E encarando o teto desse quarto, eu percebo que 
eu já tenho o suficiente de toda a humanidade 
que eu preciso bem aqui, no silêncio abafado 
desse sepulcro pós-moderno.

Cheirei a noite inteira. 
Pinos mágicos de solidão. 
Porém, eu não sabia 
que a tristeza 
viciava.

LIVINGSTON MARLINSON

Reinos conquistados

As lutas são duras…
Dias de solidão, rumo ao meu reencontro.
Aqui as almas não suportam o silêncio. Gostam de barulho.
É como sentir uma paz…
Lá fora,existe confusão! Muitas vozes ao mesmo tempo.

Gritos.

A doçura de um olhar triste e brilhante
A pele cor de neve, uma voz marcante que me intriga:
 
Sentindo a distância de quem não entra em guerras banais.
Vacilante, me ofereceu espaço… Liberdade…
Espaço que hoje eu sei que ocupo e que conquistei dia após dia.

Meu bem, isso é como oferecer ao rei um reino já conquistado.

Linda, eu respondo, porém;
Dizendo não ser um bicho dentro do seu quintal
“Livre”(entre aspas). E que vai ali e volta…Não!
Sou bicho do mundo.
Se é que esse mundo nos cabe.
Me perco dentro do meu mundo. Ora! Não somos todos livres?

Não subtraia as glórias dessa caminhada.
Não me oferte a minha própria liberdade, conquistada a duras penas.
Não me ofereça, portanto, um reino que já conquistei!

ISABELA CAMPOS

Sorria e acene

Você é perfeita como um diamante 
Mas a diferença é que você pode quebrar 
Em busca do padrão de beleza social 
Tudo parece tão natural com um sorriso 
Mas até ele tivemos que treinar

Todos apreciam os looks 
Mas o sonho de ser a mulher perfeita 
Está sob várias cintas e maquiagens 
Ela se porta como um verdadeiro robô 
O que você faria para ser perfeita?

Ande como uma verdadeira dama 
Se equilibre em um salto de 10cm 
Use uma peruca de cabelos lisos 
Coloque meias calças para esconder estrias 
Então você está no padrão

Treine, você está gorda! 
Coma e vomite 
Parece uma criança chorando 
Tem que se mostrar feliz e equilibrada 
Ninguém vai ter compaixão ao te avaliar 
O prêmio não foi para você 
Então sorria e abrace sua concorrente 
Como se não estivesse triste 
Mostre-se compreensiva 
Então sorria e acene pela última vez.

GIULIANO SANTOS

Assalto na chuva

Era véspera de Dia de Ano, chovia repentino, com brabeza. Sempre morei sozinho mais Deus, aguentei lamúria e falação de mulher não. Tava num perrengue com umas feridas que arranjei na lavoura. Num conseguia de dormir por conta da bagunça de foguete e o jeito foi ponhar salobre na perna pra mo’de dar jeito naquilo. Repentino, entra um sujeito mascarado, dando safanão na porta, estorvado. Achou nada de valor não e ia judiar de mim se num carecesse de ajuda pra desentalar a condução presa no barro.

ALAN AMARAL

Tempo Perdido Podcast. Assuntos variados, bom humor e espontaneidade. Escute em: www.tempoperdido.com.br você também pode baixar o aplicativo Castbox para iOS ou Android e ouvir sob demanda.

CRISTIANO DE OLIVEIRA

Kill

Clique na imagem para ampliá-la.

LUCAS DINIZ

Experimentações

ESPAÇO ABERTO

LUCIANA CHAVES

Aninha!

Aninha sapeca, que ama boneca.
Aninha com seu jeito de moleca.
Aninha não tem pressa…
Aninha bailarina que ama pular corda, brincar de amarelinha.
Aninha não tem pressa, quer chicletes, algodão doce e picolé.
Aninha não tem pressa, quer correr, abraçar, só brincar.
Aninha não tem pressa, 
Aninha é intensa, tagarela, é inteligente e gentil!
No mundo do faz de conta, desenha, pinta e borda.
Aninha não tem pressa…

MARCOS SANTOS

Cidade dos sonhos
Na Cidade dos Sonhos
Em seu carro possante
Passeia ‘de rolé’. O menino
É um homem,
É o agente especial,
O mais veloz corredor,
Campeão mundial.

Segue o menino homem
Na Cidade dos Sonhos
Sonhando…
Segue o menino…
Segue sonhando…
Pode até voar.

Em meio a um mundo sem sonhos
O pretinho de pés calejados e ossos expostos
Empurra o possante de plástico de rodinha quebrada.
O menino que matou a fome com feijão e farinha
Dado pela sua mãe que chorou ao velo engolir.

Irá crescer.

A cidade dos sonhos não mais existirá.

A cidade dos sonhos não existe mais.

E agora… 
Um homem.
Sai de casa e nem sabe por que.
Sonha sem acreditar.

BRIAN TAYLOR

A noite quente com o aroma de primavera, 
No céu a lua com sua meia luz refletida em tom minguante… 
Ventos astrais soprando poeira cósmica a pulmões celestes… 
Construindo traços de curvas estelares onde por séculos 
Foi moldado e esculpido as visões de astrônomos dedicados… 
Que vida nos resta esperar de constelações que nao brilham mais? 
A lua deveria ser exaltada por ali estar, e emitir ondas invisíveis e as manifestar sobre o mar. Mais que isto,
Sinto em minha pele suas vibrações lunares, renascendo a luz refletida originada do sol, iluminando, 
Mas só um pouco, o pouco necessário para ver e rever sua face que se vira e me vira a te admirar…

FILIPE CANAAN

De tanto ler Sir. Conan Doyle 
virei Sir Canaan do dólar 
Minhas letra astronauta faz dedução de outrora

Inteligência pra etnologia 
A arte de poder ver entre as linhas 
Então cês são burro pracarai, coloquei mil metáforas e 
me vêm dizer q sacaram aquela da primeira rima

Primeiramente tenho que citar primeiramente 
“Pra que fazer história num país que ninguém lê” 
não mente pra mim 
Primeiro priorizo minha mente 
Cês são fã de kawai eu sou niilista doente

Fechei com os amigos pra fazer uma rima aberta 
Cês rima Mark 14 
Eu flow big Bertha 
No jogo de dez eu marco 14
 Mark Zuckerberg me erra!

MATHEUS PINHEIRO

Bar das ilusões 
Garçom, por favor, me sirva um copo de cólera, 
Aproveite e sente-se, lhe contarei uma história. 
Diante o cinza da cidade me perco em minha memória. 
A revelia de meus atos relembram o que poderia ser uma vitória, 
Ah e acompanhado ao pedido, adicione duas doses de estupor e uma de ardor, 
O clamor vivido servido com dissabor. 
Voltemos ao conto, mas, por favor, veja se me consegue um desconto, 
Afinal, como seria pra ti o seu final? 
Se perder na própria dialética ou atender a mais um pedido banal? 
Peço perdão caso esteja tomando seu tempo, mas a cada dia que se passa o tempo se discorre mais lento.
 Irei me retirar agora do balcão, mas antes lhe deixarei uma reflexão. 
Caso tu não estivesse fixo em tua própria prisão, o que faria caso acordasse de sua ilusão?

WEB-CLIPES DE BETIM

PARTICIPE

Envie textos de sua autoria para a Betim Cultural. Eles poderão ser publicados aqui na revista. Interaja também com sugestões, comentários e críticas: participe@betimcultural.com.br

Edição publicada por
Pamela Sobrinho
pamela@betimcultural.com.br
Apoio:

Você pode ler todas as edições da Revista em:
1ªGeração2ªGeraçãoAtual

Vamos lá, compartilhe!

CONHEÇA O ♥ MANUAL VEGANO