RBC | Ed. 109

Willian Motta
Sou mulata, sou negra, sou forte
Dos oprimidos pela escravidão sou descendente
Resisto aos opressores que anseiam ver minha morte
Antepassados vieram a força, da África, o explorado continente.
Ainda tenho em mim a marca dos grilhões
Fomos curados do corpo, mas aí está ferida a alma de milhões.
De sua terra foram arrancados
Nessas terras foram escravizados
Fomos vítimas de um êxodo forçado
E Séculos de escravidão ainda não estão apagados
Do chão sob nossos pés, sangue negro ainda jorra
E cada vítima do preconceito minha mãe África chora. 
Êxodo Forçado — KELTON ALEXSANDER

TIAGO HENRIQUE

NEBLINA

De manhã
Acordei pensando no meu dia,
À noite
Terminei pensando no amanhã

Crescemos
Sem notar isso
Quando se assusta
Você já é velho o bastante
E tudo depois disso
Pesa como neve.

PAMELA SOBRINHO

Eu tenho medo de morrer
Eu tenho medo de morrer todos os dias
Tenho medo de não voltar para casa
Tenho medo que minha mãe tenha que me enterrar 
Eu tenho medo porque sou mulher
Eu tenho medo porque meu país é um dos mais inseguros do mundo
Para se ser mulher
Eu tenho medo porque mulheres morrem por serem mulheres
Eu tenho medo da violência porque já fui vítima da violência
Eu tenho medo do meu corpo ser violado
Porque ele já foi violado por ser mulher
Eu tenho medo de não ter minha voz ouvida
Porque ela já não foi ouvida porque eu era mulher
Eu tenho medo de ser silenciada, abusada, violada, morta e mutilada
Eu tenho medo porque sou mulher
Eu tenho medo porque já tive minha qualidade intelectual questionada
Por ser mulher
Eu tenho medo de receber menos meu salário, 
Porque sou mulher
Eu tenho medo do parto e de não ter meus direitos respeitados
Porque sou mulher
Eu tenho medo de sair de casa, eu tenho medo no trabalho, no transporte e no amor
E todo o medo que eu sinto é porque sou mulher
Mas apesar de todos os medos, 
Eu me levanto todos os dias,
Visto minhas armaduras de coragem, coloco a cara no mundo e enfrento meus medos
Enfrento porque sou mulher, sou coragem, sou guerreira, sou a deusa, sou mãe
Eu tenho o dom da vida em meu ventre, eu tenho a coragem das minhas ancestrais
Eu sou a neta da bruxa que você não queimou
Eu a descendente direta da deusa 
E por ter as forças nas mãos, eu decidi lutar
E eu tenho a coragem que o mundo não quer
E todo o dia eu encaro o desafio de ser mulher

TARSO CORRÊA

RELICÁRIO DE SAUDADES

No quarto vazio, encostado a um canto,
Um relicário de saudades de seis portas,
Pulsava lembranças e nublava meus olhos,
Descortinando o manto do passado;
Em cada objeto pinçava histórias,
Memórias vividas compartilhadas,
Um guarda roupa, cápsula do tempo;
Em cada porta aberta, aroma de coisa guardada,
Lençóis, cobertores, roupas embrulhadas,
Retratos, cartões, recordações materializadas;
E neste curto trajeto, percorri anos,
Sorri, chorei;
Em cada cantinho uma surpresa;
Navegando ao mesmo momento
Entre a alegria e tristeza;
A cada espaço esvaziado, uma porta fechada, uma despedida,
De uma vida que passou;
Deixando suas marcas e manias impressas;
Neste regresso, lavo meu coração no lamento,
Deitando o aperto do peito
No leito do amor deixado,
Abraçado pelo calor do afeto.

BRENDOW GODOI

Bem-te-vi

Já fazia algumas semanas que eu estava bem, até que encontrei um fio de cabelo teu, junto à minha gravata azul. Curvei o olhar e perguntei “o que mais agora, meu Deus?” Parece que as nossas cartas de alforria sempre estão embebidas de gasolina, e que coisas assim, são fósforos acesos que caem do céu. Um bem-te-vi posou na minha janela e riu de mim. Debochou da minha tragédia legendada em preto e branco. Não há como fugir: o mundo me obriga a ser poeta.

LIVINGSTON MARLINSON

Vida

Me pergunto se o viver está ligado ao pulsar de um coração…

Logo percebo que não!

A vida está na saudade latente que insiste em ficar quando alguém se vai, ou naquele sorriso que fica ali, parado na esquina, mesmo depois do passar do tempo.
Vida é amizade, estender o braço e saber compartilhar.
O coração pulsa mais forte e aumenta a chama da vida com uma canção cantada entre amigos, com o desabafo sincero, o aperto de mãos…

Mas, a vida também diminui quando nos acomodamos…

Agora eu sei que a vida é na verdade aquilo que deixamos, os sorrisos, as fotos, as lembranças…

Vida combina com saudade(…)

E mesmo sem o pulsar de um coração, a vida existirá!
E estará ali, presente num canto da memória de quem teve que seguir a caminhada um pouco mais só.

ISABELA CAMPOS

Sorria e acene
Você é perfeita como um diamante 
Mas a diferença é que você pode quebrar 
Em busca do padrão de beleza social 
Tudo parece tão natural com um sorriso 
Mas até ele tivemos que treinar
Todos apreciam os looks 
Mas o sonho de ser a mulher perfeita 
Está sob várias cintas e maquiagens 
Ela se porta como um verdadeiro robô 
O que você faria para ser perfeita?
Ande como uma verdadeira dama 
Se equilibre em um salto de 10cm 
Use uma peruca de cabelos lisos 
Coloque meias calças para esconder estrias 
Então você está no padrão
Treine, você está gorda! 
Coma e vomite 
Parece uma criança chorando 
Tem que se mostrar feliz e equilibrada 
Ninguém vai ter compaixão ao te avaliar 
O prêmio não foi para você 
Então sorria e abrace sua concorrente 
Como se não estivesse triste 
Mostre-se compreensiva 
Então sorria e acene pela última vez.

BRIAN TAYLOR

Espaço

A noite quente com o aroma de primavera, 
No céu a lua com sua meia luz refletida em tom minguante… Ventos astrais soprando poeira cósmica a pulmões celestes… Construindo traços de curvas estelares onde por seculos foi moldado e esculpido as visões de astrônomos dedicados… 
Que vida nos resta esperar de constelações que nao brilham mais? 
A lua deveria ser exaltada por ali estar, e emitir ondas invisíveis e as manifestar sobre o mar. 
Mais que isto, sinto em minha pele suas vibrações lunares, renascendo a luz refletida originada do sol, iluminando, mas só um pouco, o pouco necessário para ver e rever sua face que se vira e me vira a te admirar…

KELTON ALEXANDER

O Português não de Portugal

Muito de nossa cultura veio de Portugal
Porém nunca vi um português tocando berimbau
Não cozinharam o quiabo, e tampouco inventaram a feijoada
Dançam com elegância, mas não sabem mexer a bunda
Não matavam mosquito e nem marimbondo
Já vi caçarem ratos, mas não camundongo.

Eles podem dormir bem
E jamais saberão o valor que um cochilo tem.
Os primogênitos serão herdeiros de toda fortuna
E não importa a quantidade nunca terão um caçula
Os garotos de Portugal sabem fazer baderna louca
Só que não existem moleques que sabem fazer muvuca.

Não chute a macumba, é um frágil instrumento
Chute esse seu preconceito capenga que já tá feio faz é tempo
Deixe de lengalenga que isso é tá futum
Só de fungar desmaia, discriminação faz mal a qualquer um.
Então não seja babaca, respeito nunca é demais.
Amo o próximo, siga ele santos ou orixás.

GIULIANO SANTOS

AGOURO

Fazia dia que a patroa internava. Gerente de enxada não merece o luxo do acompanho, a obrigação emperra, estrada enlameada, segurando carro-de-boi. Menino em casa geme o trato, bate no prato e pede presença. Pai e mãe, desassossego cambaleando; o eito e o leito. Cabeça da gente perrenga junto, mo’de notícia, sem ter como escapar da roça, sem recurso de pousar na cidade. Escravo do sustento, o capiau perde a razão mas não desprega da lida. De noitinha, outro canto da cama clamava a ausência; o frio e o calafrio negro anteciparam o pio da coruja.

ALAN AMARAL

Tempo Perdido Podcast. Assuntos variados, bom humor e espontaneidade. Escute em: www.tempoperdido.com.br Você também pode baixar o aplicativo Castbox para iOS ou Android e ouvir sob demanda.

LUCAS DINIZ

ESPAÇO ABERTO
Dia da Consciência Negra, uma homenagem aos nossos artistas que tanto contribuem e enriquecem nossa cultura ! Um muito obrigada da equipe RBC
Willian Motta

Humanidade
Depôis de conhecer a humanidade
suas perversidades
suas ambições
Eu fui envelhecendo
E perdendo
as ilusões
o que predomina é a
maldade
porque a bondade:
Ninguem pratica
Humanidade ambiciosa
E gananciosa
Que quer ficar rica!
Quando eu morrer…
Não quero renascer
é horrivel, suportar a humanidade
Que tem aparência nobre
Que encobre
As pesimas qualidades

Notei que o ente humano
É perverso, é tirano
Egoista interesseiros
Mas trata com cortêzia
Mas tudo é ipocresia
São rudes, e trapaçêiros
– Carolina Maria de Jesus, em “Meu estranho diário”. São Paulo: Xamã, 1996. (grafia original)

WEB-CLIPES DE BETIM

PARTICIPE

Envie textos de sua autoria para a Betim Cultural. Eles poderão ser publicados aqui na revista. Interaja também com sugestões, comentários e críticas: participe@betimcultural.com.br

Edição publicada por
Pamela Sobrinho
pamela@betimcultural.com.br
Apoio:
Você pode ler todas as edições da revista em:
1ªGeração2ªGeração • Atual
CONHEÇA O ♥ MANUAL VEGANO

Amo o próximo, siga ele santos ou orixás.