Iniciativas de empoderamento feminino

Bevert
Bevert
Feb 15 · 3 min read
Mulher ao computador, por Christin Hume @christinhumephoto no Unsplash

Em 2015, a ONU, em parceria com os representantes de seus estados membros, se reuniu para a elaboração da Agenda 2030, um plano de ação para importantes mudanças mundiais. Em seu objetivo de número 5 consta: “igualdade de gênero: alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas”.

E quando o assunto é (falta de) igualdade, seja desigualdade de renda na população em geral, seja a desigualdade entre os rendimentos de homens e mulheres, o Brasil figura entre os países de pior desempenho. Em dados de 2017, homens haviam recebido no Brasil, em média, salários aproximadamente 30% maiores que as mulheres. Cabendo ressaltar que a diferença entre os rendimentos entre homens e mulheres ocorre em diferentes camadas sociais, seja nos 50% mais pobres, ou nos 10% mais ricos. E não para por aí, o emprego feminino é mais exposto às consequências de crises econômicas, desencadeando maior desemprego desta parcela da população, por exemplo.

Se alcançássemos a igualdade de gênero, você imagina quanto o PIB mundial poderia aumentar até 2025? Algo em torno de 12 trilhões de dólares. Só no nosso país seriam R$ 850 milhões adicionais.

E parte da igualdade que desejamos passa pelo empoderamento feminino na sociedade.

“Empoderar todas as mulheres e meninas”, conforme postula o objetivo da ONU mencionado anteriormente não é tarefa fácil. Parte da falta de perspectiva feminina pode advir justamente dos dados já mencionados: desigualdade social e de renda. Entretanto, existem iniciativas exemplares de diversas organizações que buscam o empoderamento feminino justamente por compreender o potencial que existe em cada mulher, brasileira ou não. Aqui nós separamos três iniciativas para você conferir, classificando-as em três temas distintos: empresarial, bem-estar e científica.

Iniciativa Empresarial: Itaú Mulher Empreendedora:

O Itaú Mulher Empreendedora busca inspirar, capacitar e conectar mulheres empreendedoras de todo o Brasil. É possível para a cadastrada acessar artigos, vídeos, trocar ideias e informações com outras mulheres e realizar cursos disponibilizados pela plataforma. Os resultados? As mulheres que participaram do programa investiram mais, aumentaram sua receita, aumentaram a satisfação com os produtos ofertados pela organização, entre outros.

Iniciativa de Bem-Estar: Dove Pela Autoestima:

A cada foto veiculada pela mídia o padrão de beleza parece se tornar mais inatingível. Correto? Ciente que somos bombardeados com mais de 5.000 propagandas diariamente, a Unilever — sob a chancela da Dove — criou a sua iniciativa pela busca da autoestima por mulheres, meninas e crianças. O projeto revela dados críticos, como a ascensão das preocupações estéticas aos 5 anos de idade, e a maior susceptibilidade a pressões sociais e psicológicas aos que não se enquadram no padrão estético propagandeado na mídia. Para combater esse tipo de situação, a organização disponibiliza artigos e pesquisas — próprias e de terceiros — que buscam a fuga de uma beleza padronizada.

Iniciativa Científica: Request a Scientist

No mundo, menos de 30% dos pesquisadores são mulheres. Apesar do crescimento nos últimos anos deiniciativas para a maior visibilidade de mulheres cientistas, ainda é perceptível a ocorrência do “Efeito Matilda” — o frequente preconceito contra a contribuição de pesquisadoras mulheres a determinado campo, cujo trabalho acaba sendo atribuído à pesquisadores homens. Soma-se a isso o fato que, entre cientistas citados em reportagens jornalísticas, aproximadamente 25% eram mulheres. Afim de combater esse número, a 500 Women Scientists introduziu o “requisite uma cientista”, ferramenta que pode ser utilizada por jornalistas, repórteres, educadores, entre outros para encontrarem cientistas mulheres dispostas a participarem de iniciativas de comunicação, inclusive no Brasil.


A OPINIÃO DA CONSULTORA

Lorena Campos: graduada em ciências contábeis pela PUC Minas e consultora BeVert desde 2018.

Obviamente, igualdade de gênero vai além de salários e posições em empresas. Entretanto, nós mulheres sabemos que esta é uma questão sobre a qual precisamos falar.

Hoje, principalmente nas grandes empresas, é possível perceber que cargos mais elevados — da gerência à presidência — são ocupados por homens. Os cargos de auxiliar, assistência e (às vezes) supervisão são ocupados, em geral, por mulheres. Poderia ser coincidência, mas dados todos os fatos e da nossa percepção da sociedade, sabemos que isso é sim ser desigual.

Por isso, trazer essa cultura para o âmbito empresarial e conscientizar os colaboradores sobre a igualdade de gênero é tão importante. A passos lentos estamos avançando, e acredito que a conscientização, inclusive na educação, seja o melhor caminho. Como nas iniciativas citadas anteriormente.

Bevert

Written by

Bevert

A Bevert está presente também no Medium! Nessa página serão vinculados todos os textos enviados em nossa Newsletter, em um único lugar especialmente p/ você ✔❣

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade