Resenha: Mensageira da Sorte

Em pleno Carnaval carioca, durante uma confusão em um protesto contra a AlCorp, Sam passa a ser uma mensageira temporária no Departamento de Correção de Sorte, uma organização extranatural secreta incumbida de nivelar o azar na vida das pessoas.
Para manter esse equilíbrio, os mensageiros devem distribuir presságios de sorte para alguns escolhidos. E o primeiro “cliente” de Sam é justamente o seu novo vizinho e colega de classe, Leandro. O garoto é um youtuber em ascensão e a ajuda dela, na forma de uma mensagem sobre nada menos que paçoca, o impulsiona a fazer um vídeo que o levará para o auge da fama. O que Sam não sabe é que Leandro também é engajado nos protestos contra a corrupção da AlCorp, sem se preocupar com os riscos que possa correr ou com as chances que tem dado ao azar, e a garota se vê obrigada a usar a sorte do Destino para protegê-lo.
Perdida entre seus sentimentos por Leandro e a culpa pela morte de seu pai, Sam começa a compreender a linha tênue entre o livre-arbítrio e o acaso. Com uma boa dose de sarcasmo, ela embarca na dura jornada para desmascarar o que está deteriorando o sistema da Justiça, tanto a natural quanto a extranatural.
Em meio a uma rede de intriga, corrupção e poder, a mensageira da sorte precisará fazer as pazes com o passado e lutar até o fim para que a balança do Destino se equilibre outra vez.

Eu já conhecia Fernanda Nia pelo seu site Como Eu Realmente e sempre fui uma grande admiradora do seu trabalho com a Niazinha e suas aventuras socialmente esquisitas.

Então nem preciso dizer que ao ouvir a notícia de que ela lançaria um romance, eu fiquei muito feliz.

Seu lançamento oficial foi na Bienal Internacional do Livro de São Paulo e eu também tive a honra de conhecê-la!

Foi uma correria pra comprar o livro e conseguir o autógrafo!

O que mais me surpreendeu nesse livro foi como ele massacrou todas as minhas expectativas e entregou algo muito mais além do que eu esperava.

Eu esperava um final feliz, um romance fofo, uma protagonista incrível. E eu recebi tudo isso. E mais!

como eu me sinto

Desde o começo, Fernanda nos entrega uma protagonista que passou por um trauma muito grande e que trabalha todos os dias para superá-lo. E quando acaba envolvida em negócios com o Destino (com o D maiúsculo), isso acaba ajudando-a a enfrentar os monstros de seu passado.

Sam é uma personagem que você se identifica facilmente. E isso faz com que você se importe com cada decisão que ela toma. Foram raras as vezes em que me peguei irritada com Sam, tudo o que ela faz é consistente com sua personagem.

Seu parceiro, Leandro, também não fica para trás. O crush literário perfeito, com opiniões fortes, muita sorte e uma atração enorme pelo perigo. Da primeira vez que ele apareceu, eu sabia que ia me apaixonar, e todas as vezes em que ele interagiu com a Sam sempre foram naturais. A química dos dois personagens é natural.

E se você gosta de um romance adolescente com direito a dança ao som de Ed Sheeran, Mensageira da Sorte tem a cena perfeita para o seu gosto estranhamente específico.

Ao terminar o livro, me foi entregue uma mensagem importante sobre seguir em frente, sem ter vergonha ou medo do passado. É nos pequenos detalhes que Mensageira da Sorte te conquista e desvia dos clichês, com uma trama envolvente com as melhores referências à cultura pop brasileira.

E como sempre, deixo aqui um gif no final do texto, mas esse ta fora de contexto, direto do meu trecho favorito do livro.

Netinho de Paula?