Aqui é o Brasil (e nós não temos espaço para heróis)

Eles não vieram de lugares muito diferentes de nós. Eles não andam com pés angelicais e nem são seres de outro mundo. Nós não temos um kriptoniano entre nós, nunca ouvi falar de um morcego gigante jogando bandidos na porta das delegacias. Naves invisíveis? Não. Aqui é o Brasil, nós não temos espaço para isso.

Mesmo assim, nós temos um Batman. Nós criamos um Joaquim Barbosa, um Getúlio Vargas e um Sérgio Moro. Porque nós assistimos televisão todos os dias e ouvimos falar de bandidos, de caras maus, dos vilões da vida real: de um Fernandinho Beiramar e de um casal Nardoni. E para cada vilão deve existir, PRECISA EXISTIR um herói.

Então nós os criamos. Os mocinhos e os bandidos. Os vilões, confesso que nem todos são nossa culpa, mas os heróis… Ah! Esses nós criamos sim. E somos nós os culpados por nós mesmos nos decepcionarmos quando eles fazem algo do qual não gostamos. Nós somos os responsáveis pelas declarações “erradas” que eles dão, por tudo o que nos enche de desgosto. Porque, como eu disse, nós os criamos, mas não os criamos para serem humanos. Eles foram criados para serem heróis.

E eles são minoria. Não temos nenhum equilíbrio entre o bem e o mal, não criamos nenhum aplicativo ou algoritmo que defina e controle a proporcionalidade entre os heróis e os vilões. Porque nós nos importamos com os heróis e não entendemos, nem queremos entender o sistema. Que se dane o sistema!

Que se dane o código de ética, que se dane a função, que vá para o inferno o traficante quase morto e o ex-presidente milionário! NÃO! NÓS NÃO QUEREMOS SABER, NÃO QUEREMOS PENSAR, NÃO QUEREMOS COLOCAR A MÃO NA MASSA FALIDA QUE NOSSO PRÓPRIO PAÍS VIROU!

Nós queremos heróis. Queremos alguém que fale por nós, alguém que coloque na cadeia os criminosos e que ajude as pessoas de bem. É só isso que nos interessa: os heróis.

Entretanto, de novo: nós não temos um marciano entre nós. Nós não conhecemos nenhum demônio como o de Hell’s Kitchen e nunca vimos um anel capaz de criar objetos aleatórios. Nós não temos heróis. O Brasil não tem espaço para eles.

Mesmo assim nós os criamos. Porque queremos ter esperança, porque precisamos nos sentir protegidos dos caras maus. Nós os chamamos de heróis, nós os aplaudimos, nós os exaltamos, nós os guardamos dentro de nós para falarmos que ele vai resolver tudo quando a situação se complicar.

Mas eles não vão. Porque eles não vão conseguir resolver tudo. Porque eles não são heróis, são só pessoas que fizeram o que deveria ser feito; uma espécie, infelizmente, que quase não existe mais.

E que também não consegue resolver todos os problemas sozinhos. Se quisermos que alguém combata o crime, que a corrupção seja erradicada, se não quisermos mais que leis injustas sejam aprovadas, não podemos esperar heróis para salvar nossa pátria. Somos nós quem temos que salvá-la.

Porque isso aqui é o Brasil. E nós não temos espaço para heróis.