“O Quanto Você Está Aí?”

Há um tema pairando sobre minhas ideias. 
Recentemente, tenho refletido sobre a importância de estarmos em conexão com nós mesmos. E dessa vez não falo da conexão interna (e espiritual) mas sim da consciência do nosso corpo.

Uma maneira de enxergarmos isso é observar como somos mais conscientes quando a temperatura do ambiente está mais quente. No verão, por exemplo, no ato de passarmos protetor solar antes de nos expormos à luz, o passamos por cada parte do corpo com atenção (por mais que não seja proposital, estamos depositando energia ali. Nem que seja para saber se o produto foi totalmente espalhado, enfim). Se pensarmos na essência, é um ritual admirável!
Já no inverno, quantas vezes conseguimos nos observar corporalmente? Nosso instinto age para nos cobrirmos o quanto mais melhor, e o frio faz questão de nos fazer perder essa consciência de sentido do corpo, naturalmente.
 
 Posso exemplificar também quando me pego, durante o expediente de trabalho, por horas sentada em uma posição que mutila a minha estrutura da coluna. É só perceber o quanto estou “sem postura” que logo vem um alongamento e… as costas travam! Comigo, é comum acontecer. Tudo isso porque fiquei por, sei lá, umas duas horas com a cabeça distante do “Aqui Agora”.
 
 E esse papo todo está aí apenas para uma possível reflexão do quanto somos conscientes do nosso corpo durante a rotina.
 Esse tipo de atenção pode nos livrar de “muitas e más”, como o stress, a ansiedade, problemas na estrutura corporal e muitas outras questões de saúde mesmo.
 
Fica a letra:

No seu dia-a-dia: Quando você está subindo uma escada, está consciente dos movimentos dos seus músculos e da força que o seu corpo está utilizando para completar o exercício?
 Ou quando você vai almoçar, observa o seu prato, o que tem nele, quais as texturas, cores e possíveis sabores que a comida que está ali irá proporcionar ao seu paladar?
 
 Pratique!

O Aqui Agora pode mudar sua vida.

Ohm Shanti.